Acho que não vou conseguir ser breve, então senta que lá vem textão! Nosso bebe foi super planejado, somos pais do Pedro de 6 anos de idade, que veio e nos ensinou a serem pais tão novos, mas desta vez seria tudo bem planejado com muita estabilidade e segurança. Demoramos um ano e meio para engravidarmos, quando achei que não iria mais rolar, enfim rolou tudo no seu tempo e na hora certa. Refiro-me nosso bebe, pois juntos, eu e papai Sergio optamos por não saber o sexo do nosso bebe ao longo da gestação, somente na hora do nascimento.  Gestação seguiu tranquila, no morfológico descobrimos que nosso bebe era artéria única umbilical, porem isolada, pois foi descartada a associação com alguma síndrome. Apenas uma breve explicação do que seria artéria única umbilical, o cordão do bebe é composto por 1 veia e 2 artérias, no caso, o cordão do nosso bebe era composto por uma veia e uma artéria, mas os médicos super nos tranquilizaram e apenas disseram que, mas pro final da gestação o que poderia acontecer, seria uma restrição no crescimento.

Bom, a gestação seguiu, nosso bebe sempre crescendo e se desenvolvendo, era sempre classificado como um bebe pequeno, mas super saudável. A partir das 37 semanas, começamos com os prodromos, juro que tinha dia que eu achava que ele ia nascer, de tão intensas as contrações, mas que nada, meu pacotinho de amor resolveu ir ate 41 semanas. Havia todos os sinais possíveis, contrações, perca do tampão, mas nada de engrenar o trabalho de parto para a preocupação da mamãe. Preocupação eu digo, pois venho de uma cesárea previa, e se eu tivesse que ir pra indução, o protocolo seria outro por causa da minha cesárea, eu como doula, sabia das minhas chances e sabia o que podia ou não dar errado. Pedi, orei fortemente a Deus que nosso bebe viesse naturalmente, para não passar pela indução. Fui tentando tudo ao meu alcance, caminhadas, chá da naoli, acupuntura (que fiz a gestação toda), sexo, e nada desse bebe dar o start como a Cris fala.

Com 41 semanas entramos em contato com nosso obstetra Dr. Fernando Pupin, para que ele pudesse me avaliar e a gente discutir opções, como moramos em Imbituba, fomos pra Floripa, ele me avaliou, bebe super ativo, liquido normal, colo quase 100% apagado, isso era numa sexta feira, 41 semanas redonda, ainda lembro-me das palavras do Dr. Fernando soarem em meu ouvido cheia de conforto e positividade, fica tranquila, tenho certeza que nesse final de semana você vai entrar em trabalho de parto, vai dar tudo certo, se caso você não entrar, na segunda a gente interna e começa a indução. As palavras deles me aliviaram a alma, apenas em saber que estava tudo bem e que podíamos esperar me deixou tranquila e relaxada. Ao acordar no sábado, havia umas colicazinhas, mas o de sempre, na verdade eu já estava tão habituada as contrações e cólicas desde as 37 semanas, que pensei, nao deve ser nada, deve ser o mesmo de sempre. Mas ao longo da manha elas foram aumentando, ficando mais intensas e incomodas, cada vez que vinha eu tinha que levantar, me concentrar e respirar fundo.

Após o almoço, elas ficaram bem mais fortes, eu já não conseguia segurar o choro e ali já comecei a cogitar a possibilidade que realmente era trabalho de parto, contrações fora de ritmo ainda, mais bem doloridas. Meu marido resolveu levar meu pequeno Pedro ao cinema, me perguntou se eu ficaria bem ou ele não devia ir. Ainda lembro-me de ter falado, relaxa, vai tranquilo, aqui ainda vai demorar o dia todo e capaz de ainda entrar madrugada a fora (hahah mal sabia eu que seria rápido rsrs). Ele foi, fiquei com minha mãe, onde estávamos hospedadas na casa da minha tia em floripa, as contrações continuaram e todas me ajudavam, massageando a lombar sempre, as cólicas já vinham forte e eu novamente não conseguia conter o choro, acho que era um desabafo da alma, eu precisava chorar. Resolvi ir para o chuveiro, as contrações foram vindo com mais frequência e chamei minha mãe pra ela monitorar, os intervalos realmente ficaram mais curtos no chuveiro e eu resolvi sair, pois vai que fluísse tão rápido ao ponto de parir ali, eu não me importaria mas faltava uma peca chave, meu marido, queria ele junto e presente, então resolvi sair do chuveiro o quanto antes.

Assim que saí, mandei mensagem pra ele e avisei que as dores estavam mais fortes, ele perguntou se eu queria que ele voltasse, eu ainda disse que primeiro terminassem o filme e depois ele vinha voando, rsrs! Quando ele chegou, eu já estava pronta para ir ao Ilha apenas dar uma avaliada, avisei a Cris e o Dr Fernando que estava indo lá apenas avaliar pois estava com muita dor. No carro as contrações vinham e eu já não consegui ficar sentada no banco, fiquei de 4 apoios no banco da frente mesmo e o marido massageando a lombar, imaginem a cena, cada sinaleira que parávamos as pessoas olhavam meio estanhas, rsrsrs, eu sinceramente estava nem ai, rsrs. Chegamos ao Ilha as 16 hrs, obstetra de plantão havia acabado de entrar em uma cesárea, ia demorar 45 minutos pra ele poder me avaliar, eu falei pra recepcionista, vc não esta entendendo, eu preciso ser avaliada agora, estou com muita dor (mal sabia eu que aquela dor ali era apenas o inicio) a recepcionista bem simpática, disse que não tinha como ela fazer nada, respirei fundo e fui pro lado de fora, tirei a minha blusa e fiquei só de top, ai o calorão já havia batido, pedi pro meu marido avisar a Cris que estávamos lá em baixo, ela já estava no Ilha pois estava com uma gestante induzindo.

Quando ela me viu, lembro bem das palavras, “ohhh guria já tais ai desse jeito” (rsrsrs), eu respondi que estava evoluindo rápido e doendo bastante, resolvemos ligar pro Dr. Fernando. Ele decidiu vir me avaliar, acho que já era perto das 17hrs, ele me avaliou e 4 cm de dilatação, decidiu internar. Enquanto meu marido fazia a internação, eu quase quebrei uma mesa da recepção, rsrsrsrs, de tanto que me apoiava nela e jogava toda a minha forca em cima da coitada, meu marido nervoso avisava, cuidado Andrielly, essa mesa vai cair, rsrsrsrs! Seguimos para o quarto, a partir dai a coisa só engrenou e eu me conectei totalmente em meu corpo e me entreguei na partolandia. Foram massagens, bola, chuveiro na maior parte do tempo, tentando encontrar posições para poder lidar com a dor.

Todos empenhados a me ajudar , a Cris com a sua paciência incrível e com aqueles olhos me transmitindo toda segurança possível, um marido em perfeita sintonia comigo, sabendo a todo o momento o que eu precisava, me transmitindo muito amor, carinho e respeito, minha mãe me transmitindo amor e me dando todo apoio possível e o nosso obstetra Dr. Fernando Pupin, respeitando meu momento e me transmitindo toda segurança de que tudo fluía dentro do normal, toda a equipe estava em perfeita sintonia.

As dores continuavam e apenas cresciam, eu estava preparada para lidar com tudo aquilo mas mesmo assim ainda lembro-me de soltar apenas 2 frases negativas pro meu marido, “Acho que não vou conseguir e acho que vou desmaiar , rsrs, ele com todo amor possível olhava em meus olhos e dizia, vai nada amor, já esta no final”. Bom não me liguei muito em horários, pois foi tudo muito intenso, mas entre uma massagem do marido, a bolsa estourou, naquele momento estávamos só nós dois no quarto, a luz estava apagada mas logo pedi pra ele acender para que eu pudesse ver a cor do liquido, cor bem clarinha, tive a certeza que estava tudo bem, Dr Fernando chega ao quarto, faz um toque, 7 cm!

Eu penso, respira fundo e se entrega e aceita a dor pois ainda vai piorar mais um pouquinho. Voltei pro chuveiro, Cris lembrou meu marido de avisar a fotografa e quem mais fosse para estar lá, ele avisou minha mãe. A Fotografa Kauana chega, lembro muito bem de falar pra ela que eu não estava nada diva para tirar fotos, mas seguimos em frente, rsrsr. Depois minha mãe chegou, entre beijinhos e massagens dela, meu primogênito Pedro pede para ver a mamãe, fiquei apreensiva de ele me ver , fiquei preocupada em gerar alguma frustação pra ele, mas ele estava pedindo muito pra me ver, então deixamos entrar, entre uma contração e outra, consegui dar um beijinho nele e dizer que estava tudo bem. Segui no chuveiro, no ápice das dores Dr Fernando pediu pra fazer um toque, sai do chuveiro, 10 cm, dilatação total.

Sala de parto ocupada, a opção seria centro cirúrgico, e eu mentalizei, eu só quero parir, vamos lá! Fomos a mil, eu estava extremamente com medo de ter uma contração no caminho para o centro cirúrgico, conseguimos chegar. A Cris colocou aquela roupa cirúrgica tão rápida que logo já estava comigo lá no CC. Colocaram um campo cirúrgico no chão, eu logo perguntei pelo banco de cócoras, mas estava ocupado tbm, a Cris me olhou e disse, Andry vai ter que ser que nem índia mesmo, na contração vc agacha fora disso, levanta e rebola para o bebe descer. Chegamos ao centro cirúrgico umas 20h30hrs, foram meia hora entre puxos e mais puxos, “Andry corrige essa força mulher, libera geral e se precisar grita, rsrsrs” Assim ouvi o conselho dela, depois de 30 minutos no expulsivo, meu bebe surpresa nasceu!

Uma adrenalina gigantesca tomou conta de mim que parecia ainda que eu estava em outro mundo, depois que me dei conta que eu já havia parido, meu marido teve a honra de aparar nosso bebe, estávamos tão entregues ao nascimento que até esquecemos de olhar o sexo do bebe, lembro bem da Cris atrás de mim: “Andry pega teu neném e vê o que é” Abracei e olhei meu bebe, é menino, seja bem vindo meu novo ser!!! Ahhh que alivio, passou tudo, e eu me senti totalmente grata por ter vivido e conseguido meu tão sonhado parto natural, ainda mais vindo de uma cesárea necessária previa onde vivi medos, angustia e uma longa espera, pois o Pedro necessitou se recuperar por alguns dias! No parto do Noah, curei todos esses medos e traumas, renasci e tive a certeza que vc passa por aquilo que tem que passar, cada parto é um parto, e cada um traz uma bagagem de aprendizados.

Tive uma laceração de 2 grau, 4 pontinhos, mas mesmo assim a recuperação foi super rápida e indolor, existia apenas um desconforto, ao contrario da minha experiência com a cesárea. Ahh e vcs lembram que o Noah podia ter restrição de crescimento mais pro final, então, como ele foi ate as 41 semanas, ele cresceu bem e super ganhou peso, meu pacotinho de amor nasceu com 49 cm e 3,480kg. Meus agradecimentos já foram postados aqui no site, porem mais uma vez, agradeço a esta equipe maravilhosa, tive essa equipe no meu 1 parto e não poderia deixar de tê-la novamente, repetimos a dose mais com um desfecho lindo e feliz.

Nascimento Noah – Parto Natural – Florianópolis

O emocionante nascimento do Noah <3Instagram: @kauanamirandafotografiaWhatsapp: (48) 9 9963-4953Contato kauanamirandafotografia@gmail.com

Publicado por Kauana Miranda Fotografia em Terça-feira, 1 de agosto de 2017

Instagram: @kauanamirandafotografia
Whatsapp: (48) 9 9963-4953
Contato kauanamirandafotografia@gmail.com

 

Categorias: Relatos de Partos !!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts Relacionados

Relatos de Partos !!

Relato da Tairine – Parto Natural – Nascimento Cássio 17/08/2017

Eu e meu marido Filipe sempre tivemos o sonho de ser pais. Combinamos que no final de 2016 iríamos iniciar as tentativas. Mal sabíamos que daria certo na primeira e nosso sonho estaria começando a Leia mais…

Relatos de Partos !!

Relato da Jullie – Nascimento Sofia – Parto Natural 22/10/2017

22/10/2017 03:00 Acordo, como já estava sendo frequente na última semana, com uma contração. Mas dessa vez foi diferente, mais duradoura, mais intensa, dolorida. Volto a dormir. 12 minutos depois, outra contração. 10 minutos depois, Leia mais…

Relatos de Partos !!

Agradecimento da Andrielly!

No dia 08/07/2017 eu renasci como mãe , mulher e esposa. Como assim renascer ?? Bom quem conhece nossa história sabe como foi o nascimento do nosso filho Pedro, cheio de medos, angústias, dias sem Leia mais…