O poder do vídeos, relatos e fotos de partos no empoderamento do parto.

24 de junho de 2016
11058694_398793390299624_6651596377590977159_n

Quando estava gestando a Sofia há 10 anos atrás, lembro que quando colocava ”parto normal, natural” no youtube os únicos partos que apareciam, eram de médicos ensinando estudantes de medicina a atender um parto. Todos eram com a mulher deitada, pernas nas perneiras, campos cirúrgicos, episiotomia, etc.

Eu já queria parto normal mesmo aos 17 anos mas me assustava com aqueles vídeos. A episiotomia pra mim nunca pareceu normal, afinal porque a natureza faria algo assim? Um corpo capaz de gerar mas incapaz de parir um bebê sem uma intervenção dessas?

Quando fui conversar com a minha obstetra sobre as opções de partos ela deixou claro que era ”Cesariana ou parto normal deitada ou de cócoras”. Na minha ignorância ainda comentei: “Mas acho que não tenho forças para ficar de cócoras tanto tempo” A resposta foi: ”É, é bem difícil.” Na época eu era tão cega nesse conceito de que o médico SEMPRE sabe o que é melhor, que nem notei que o mural dela só tinha fotos de cesáreas.

Essa foi a nossa única conversa sobre partos, e após o resultado do streptococus ela só me deu uma opção: ”Que data vocês querem?” Alguns anos depois encontrei ela na maternidade que eu trabalhava, e fiquei sabendo que ela só atendia partos normais que durassem no máximo 4 horas. Todos com episiotomia. Como parir assim?

Hoje fico pensando que se existissem vídeos de partos respeitosos naquela época, eu teria buscado mais informação, e exigiria um atendimentos diferente.

Por isso eu incentivo sim que todas as mulheres escrevam relatos de seus partos. Incentivo fotos e vídeos.

Precisamos mostrar ao mundo e á todas as mulheres que existe opção. Que não devemos aceitar qualquer parto, e com certeza estamos vendo grande evolução. Não só nas mulheres cada vez mais empoderadas, informadas, mas também nos profissionais de parto.

Fico feliz de ver de perto essas mudanças e espero que em breve todas as mulheres tenham direito de parir de forma respeitosa, onde quer que seja o parto, no público ou privado.

Nascimento Iris from Natalia Brasil on Vimeo.

Relato da Patricia – Nascimento Naísha – Parto Natural 19.04.16

24 de junho de 2016

13240480_1019826638086370_3415185191047818456_n

Mãe de primeira viagem… Ansiedade a flor da pele, como com todas as mamães… Preocupada com o quarto, o enxoval, o chá de fralda, e o parto. Porém muito antes de engravidar, fui apresentada ao parto humanizado por uma colega que me relatou como foi maravilhoso o parto de seus filhos, desde o dia dessa conversa, comecei a pesquisar sobre a humanização do parto. Conversei com meu marido sobre o parto e ele me incentivou essa conversa toda rolou um ano antes de engravidar.

Meu interesse não parou por aí… Comecei a pesquisar sobre as doulas, queria entender o papel dessa profissional, sendo que até então, achava que o principal para um parto tranqüilo seria a equipe médica. E claro, que isso tudo é muito importante… A estrutura da maternidade, os profissionais que nos atenderão no dia mais especial da nossa vida. Hoje quando penso em equipe médica, incluo a doula… Sim, a doula tem papel fundamental no parto, assim como o obstetra.

Assim que soube da minha gravidez… Não tinha decidido pelo obstetra, mas já sabia que a Cris seria minha doula, me lembro que entrei em contato para contratá-la e ela me disse que o ideal seria esperarmos os 3 meses, assim fizemos, porém já estava certa que a Cris me acompanharia.

Abrir mão de alguns conceitos sobre o parto normal, dor, pós parto e os procedimentos do parto que ouvi durante os meus 36 anos foram as primeiras coisas que precisei fazer.. A minha maior preocupação com o parto sempre foi a dor… Depois do nosso primeiro encontro com a Cris, voltei para casa, tão relaxada e despreocupada com esse assunto… Pois voltei consciente que a dor eu sentiria sim, mas o assunto que tanto me preocupava foi abordado de uma maneira muito natural e desmistificado que saí da nossa primeira consulta certa de que estava preparada para ter minha filha, aliás já nasci com esse preparo como toda mulher… Estava confiante que teria um parto como sempre sonhei, e que ela estaria ali para me ajudar a tornar esse sonho tão importante em realidade.

Até que chegou o nosso grande dia… Dia 19 de Abril, o dia em que nasceu a Naísha, eu estava com 39 semanas. Fui muito abençoada, assim me considero, porque foi tudo muito tranqüilo… No dia 18, por voltas das 16 horas, comecei a sentir uma cólica bem fraquinha… Evacuei por várias vezes nesse dia, e observei que saiu meu tampão, mas estava tudo muito tranqüilo… Por volta das 20h30 as cólicas ficaram um pouco mais fortes e às 22 horas mais fortes ainda, então a partir dessa hora que eu comecei a ficar incomodada com as dores… Quando foi por volta das 3 horas da manhã, não agüentei… As contrações estavam bem doloridas, entramos em contato com a Cris, que nos orientou a ir para a maternidade para uma avaliação. Ao chegar na maternidade (por volta das 5h da manhã) e ser examinada, o médico me disse que eu já estava em trabalho de parto e estava com 5cm de dilatação, minha bolsa já havia estourado, porém não percebi, acredito que deve ter arrebentado no banho.

Depois de instalados, a Cris chegou e fez toda diferença no atendimento do meu parto, uma pessoa que te tranqüiliza, que te transmite segurança, que te ampara, que te ajuda, que te dá força… Apoio emocional é tudo nesse momento tão delicado. Você espera meses para ter seu bebê em seus braços, cria uma expectativa enorme, quer que as contrações passam logo, quer desistir, pensa que nunca mais quer ter filhos, pensa que como foi louca de tentar esse parto, um mix de pensamentos e sentimentos, você fica vulnerável e precisa de alguém que te ajude a focar, que te ajude a respirar, que te faça uma massagem para aliviar a tensão e a dor, que te passe segurança e que te ajude a seguir meu obetivo e não desanimar e tudo isso a Cris me ofereceu nesse momento tão delicado.

parto3

parto8

Naísha nasceu às 10h45 da manhã, com 50 cm e 3,205 kg.

parto4

parto5

parto6

Meu parto foi com plantonista, fui muito bem atendida, mas ter uma profissional que toma conta de você, e que conhece toda a equipe, te deixa muito mais relaxada e faz com que você se foque no seu parto…  A Cris foi de extrema importância… Meu marido que me acompanhou durante todo trabalho de parto, também ficou muito contente com o atendimento e apoio que a Cris nos deu… Assim que chegamos em casa, ele comentou que a Cris fez toda diferença nesse momento da chegada da Naísha! Obrigada Cris por tudo!!!

parto7

%d blogueiros gostam disto: