Levanta o mouse para cada vez que você ouviu essa frase, e também se você a proferiu. Não, esquece, você deve ter outras coisas a fazer depois de algumas horas levantando o mouse sem parar.

Vamos aos chocantes fatos: não existe falta de dilatação. Mas por favor, antes que você comece a ranger dentes e ficar com os olhos vermelhos de ódio, leia esse texto até o fim. Se sobrar alguma dúvida ou restar a discordância, conversemos com amor!

A dilatação do colo do útero é um processo passivo que ocorre quando as contrações encurtam as fibras musculares do útero, empurrando o bebê para baixo e puxando o colo para cima. Essas contrações, uma após a outra, vão puxando o colo de tal forma contra a cabeça do bebê, que é como se ele estivesse vestindo uma blusa de gola muito apertada. Cada vez que o útero contrai no trabalho de parto, a gola veste mais um pedaço de milímetro de sua cabecinha.

A contração passa, o colo relaxa, mas não volta a fechar o que já abriu. Na contração seguinte, é puxado mais um pouco. Lá pelas tantas o colo “veste” toda a cabeça do bebê, em seu maior diâmetro. Essa é a “dilatação total”, e nessa hora o colo do útero tem aproximadamente 10 cm de diâmetro.

Porque então tantas mulheres (especialmente as usuárias do serviço privado) têm tantos problemas de dilatação? Bem, existem algumas causas, vamos a elas:

1) Se a mulher não entrar em trabalho de parto e não ficar em trabalho de parto, ela obviamente não terá dilatação (a não ser que tenha uma patologia que a faça dilatar precocemente). Portanto quando a mulher vai na consulta de 38, 39 semanas, e o obstetra diz que ela não tem dilatação, o certo seria responder: “Claro, doutor, se eu estivesse em trabalho de parto eu saberia”.

2) O trabalho de parto é caracterizado por contrações espontâneas de 3 em 3 minutos (aproximadamente), que duram de 1 minuto a 90 segundos. Em outras palavras, quando a mulher fica 12 horas “em trabalho de parto”, com contrações a cada 10 minutos, isso não era trabalho de parto. Isso eram os pródromos, o princípio, a fase de instalação do processo do parto.

3) Tem mulher que demora mais para entrar em trabalho de parto efetivo, e pode ficar 2 ou 3 dias com contrações ritmadas, mas que não chegam a engrenar nos 3 em 3 minutos. É preciso muita paciência e muita doula para lidar com essa longa latência, mas o fato é que uma hora ela vai entrar em trabalho de parto.

4) Quando a bolsa se rompe e não há dilatação, é necessário esperar. Após longa espera, é possível se induzir o parto. Uma indução bem feita (preparação do colo com prostaglandinas e posterior aumento da dinâmica com ocitocina) pode levar 48 horas facilmente. Nem todo serviço e nem todo obstetra está disposto a ficar 48 horas induzindo um parto.

5) Ocitocina aplicada numa mulher sem dilatação só faz provocar contrações dolorosas, intensas, e que não fazem o colo do útero dilatar. Muitas vezes essa é a “técnica de convencimento” que alguns profissionais usam para a mulher desistir do parto normal e pedir uma cesárea pelo amor de Deus.

6) Dependendo do estado de tensão da mulher, ela pode bloquear a dilatação ou ter um processo muito lento, absurdamente lento. Para essas mulheres, a analgesia de parto normal (peridural ou combinada, raqui não) pode ser um tremendo alívio e não foram poucas as vezes que vi mulheres estacionadas nos 3 ou 4 ou 5 cm há muitas horas evoluírem para parto espontâneo apenas duas horas após analgesia. E se duvidam, posso indicar um anestesista com quem trabalho e que já testemunhou inúmeros casos assim, para explicar como isso funciona.

7) Em dez anos trabalhando semanalmente com três equipes que têm 10% de cesarianas, mais de 400 mulheres atendidas por mim quando era doula, além das centenas atendidas por elas em que eu não estava presente, mas sim outras doulas, eu nunca vi uma cesariana feita por falta de dilatação. Nunca! Nos 10% de cesarianas em trabalho de parto entraram basicamente: estresse fetal antes da dilatação total ou desproporção céfalo-pélvica. Em outras palavras, as poucas cesarianas feitas antes da dilatação total foram feitas porque o bebê se cansou e não dava mais para esperar terminar o processo de dilatação, sob risco dessa espera fazer mal ao bebê.

8) Para chegar de fato nos dois últimos centímetros de dilatação e atingir a tal  “dilatação total”, o bebê já tem que estar descendo através da bacia pélvica. Por isso, nos casos em que há a verdadeira desproporção céfalo-pélvica, a mulher dilata até 8-9 cm. Talvez esse último centímetro que falta jamais venha a ser vencido. Após todas as tentativas de ajudar o nascimento, às vezes com algumas intervenções, pode ser que o bebê de fato não passe pela bacia pélvica, e nesse caso a cesariana seja feita quando a dilatação estacionou nos 8-9 cm.

9) A dilatação não é um processo simétrico. Ela depende da posição da cabeça do bebê. Normalmente o último centímetro a abrir está à frente da cabeça do bebê, próximo ao osso púbico materno, internamente. A esse último centímetro chamamos de “rebordo de colo” ou “rebordo anterior”. Com paciência, esse último centímetro desaparecerá, e o bebê nascerá. Às vezes pode ser preciso ou pode ser útil abreviar o tempo do parto reduzindo-se esse último centímetro com um exame de toque. Isso se chama “redução do colo”. É um processo doloroso, que deve ser evitado a todo custo, se possível.

10) A única coisa que pode impedir um colo de dilatar é um tumor grave no tecido. Tirando essa situação, todas as mulheres irão dilatar, se tiverem os recursos, tempo e equipe necessários.

Para aguardar que todas as mulheres dilatem, precisamos ter disponíveis profissionais bem dispostos, sem pressa, com repertório, incluindo parteiras, doulas, obstetras, anestesistas e pediatras. É preciso haver recursos completos para alívio da dor como ambiente agradável, bola, banqueta, banheira, chuveiro, massagem, alimentos, conforto para os acompanhantes, etc. E por fim, é preciso ter disponível analgesia de boa qualidade para as poucas mulheres que necessitam.

Texto de Ana Cristina Duarte – Obstetriz  – Atende em São Paulo


23 comentários

Juh Guimarães · 25 de fevereiro de 2013 às 1:25

perfeito cris!

amei e me ajudou bastante!

li ate pro marido 🙂

beijos

Raquel · 25 de fevereiro de 2013 às 2:56

Adorei!!! com a minha cunhada aconteceu o numero 5: o médico disse q se não nascesse até tal dia, iria induzir! 6 hr depois do inicio da indução o médico afirmou q ela não teria dilatação suficiente e pronto, partiram para a cesareana. O interessante é q o médico a “consolou” dizendo para ela não se sentir mal, pq ela tinha tentado, eles tinham tentado td o que poderia ser feito… interessante né? ótimas dicas, sempre!!!!!

Raquel Noronha · 20 de abril de 2013 às 13:34

Obrigada pelos esclarecimentos Cris! Comigo aconteceu exatamente isso! Minha bolsa rompeu em casa e cheguei na maternidade com 2 de dilatação com contrações esporádicas e sem dor! Minha medica me colocou no soro com ocitocina imediatamente e após 1h de dores insuportáveis cheguei a 3cm e portanto fui conduzida para a cesariana! Que frustração! Saber disso agora gera em mim raiva pq conversei com ela durante toda a gestação e ela apoiou o parto normal! Ainda posso tentar um parto normal depois disso? Vc indica algum medico/a aqui no RJ?

Cris Doula · 21 de abril de 2013 às 2:02

Raquel, é bem complicado, é melhor falar com alguma doula aí. Procure no google “Nucleo carioca de doulas”
Beij~so

Fabiana Oliveira · 9 de agosto de 2013 às 17:04

Prezada Cris,
Gostei muito do que vc escreveu mas continuo com uma grande duvida. No meu segundo filho, eu quis tê-lo de parto normal, então minha medica recomendou esperar mas se eu demorasse muito no trabalho de parto, ela faria uma cesárea ja que meu primeiro filho foi cesárea (10 anos antes). No tão esperado dia, a bolsa rompeu às 6 horas da manhã e jorrou o liquido. Corri para a maternidade mas não tinha qualquer centímetro de dilatação. Ela esperou até uma hora da tarde e disse q não podia esperar mais porque poderia prejudicar o bebê. Minha dúvida é, não dava pra induzir um parto normal? quando a bolsa estoura e perde todo liquido, quanto tempo eu posso esperar? Obrigada

Cris Doula · 9 de agosto de 2013 às 18:28

Fabiana, dava pra esperar desencadear trabalho de parto, essa coisa de fazer cesárea porque o bebê VAI entrar em sofrimento fetal é errado. Não tinha porque te operar, e nem porque induzir. Quando se tem cesárea pode-se induzir mas com cuidado, quando a bolsa rompe o bebê nao fica sem liquido, não sai todo o liquido de uma vez. Já tive mulheres que ficaram com bolsa rota entre 20, 40, e 80 horas, e todas evoluíram para parto normal. Bjs

renata · 4 de setembro de 2013 às 20:29

boa noite Cris!
Acabei entrando aqui, por causa da minha irma que esta com 40 semanas exatas hj e descobriu que esta com pedra no rim, com o urologista de plantao dizendo que ela deve fazer uma cesarea e a obstetra humanizada dela dizendo que da para esperar… mas viram que ela ja esta com 4 dedos de dilatacao… a obstetra chamou um urologista de sua confianca para decidirem o que fazer… enfim, lendo o seu site, cheguei nesse
link “Eu nao tive dilatacao” eu cheguei em 41 semanas, sem nenhuma contracao, nem de treino, sem dilatacao, r sem encaixe. o medico sugeriu uma inducao pois achava arriscado passar das 41 semanas. no usg pre-inducao, mostrou que minha bb tinha 4.040kg., meu medico entao disse que nao faxia inducao com um bb com mais de 4 kg., que eu podia, se quisesse, tentar com outro medico… fiquei com medo e concorfei com a cesarea… sera que poderia ter esperado mais?? em uma proxima gestacao posso arriscar? bjs e parabens pelo trabalho!

Cris Doula · 6 de setembro de 2013 às 15:12

Renata, vc poderia ter induzido sim e feito parto normal sim. Quando a tua irmã eu não posso dizer o que é certo e errado pq não é minha função decidir condutas médicas,
mas recomendo que ela ouça e confie no obstetra humanizado.

cristiane · 23 de fevereiro de 2016 às 11:25

oi cris…. texto de grande valia com ctz… eu tive minha bb ha quase 10 anos eu queria mto parto normal mas tive mto estresse no final problemas pessoais mas enfim eu tentei tentei por 4 dias comecei com dores na sexta pela manha no domingo as dores eram insuportaveis e interminaveis rsrsr mas estava com 4 de dilatação desde sexta e nao saia disso…. no domingo era uma contração em cima da outra e demorava passar eram mto fortes…mas acabei q evolui para uma cesárea…muito pq na epoca nao entendia muito ou nada de parto normal outra pq nao tive apoio nem do medico nem da minha família… o medico nao me explicava o q estava acontecendo q podia demorar q era assim msm nao tentou induzir nada…entao depois de 3 noites sem dormir ele me olhou e disse vamos fazer a cesarea pq nao vai evoluir e eu fiz…nao me arrependo ela nasceu forte saudavel….. mas nao pude fazer o parto normal pq realmente na minha falta de conhecimento fiquei com medo de alguma coisa pudesse acontecer de ruim se continuasse esperando… mas ainda bem q hj ja se evoluiu muito em parto normal natural e humanizado onde se tem pessoas capazes q amam o q fazem de tirar as duvidas das pessoas explicar como é evolução e ajudar a tirar e superar os medos e receios em relação ao parto normal natural e humanizado…abraço

Émile Eni Vieira · 23 de fevereiro de 2016 às 16:08

Minha mãe sempre me falou que o parto em que eu fui trazida ao mundo TEVE que ser cesariana porque eu estava com o queixo preso na bacia dela (detalhe: ela nunca bateu uma ultrassom pra saber se era verdade) e porque ela “não tinha dilatação” e que isso era problema de família.
Atualmente, sou eu quem está grávida e já bati o pé dizendo que o parto da minha filha será normal e não tem quem me faça mudar de ideia. Já deixei claro pro meu namorado que só serei cortada em caso de extrema urgência e necessidade. Quando falei pra mamãe que ela poderia ter sofrido uma violência obstétrica, faltou vir com 10 pedras na mão em defesa do G.O, porque ela viu como eu saí Roxinha na hora que me mostraram pra ela. Eu me Consulto com ele porque acho o melhor cara no ramo da ginecologia obstetrícia da minha cidade, mas já tenho consciência de que ele não vai fazer meu parto por ser cesarianista. E mesmo que venha com graça de querer marcar a data pro meu parto, vou fazer questão de faltar.

Ana Luísa Brito · 24 de fevereiro de 2016 às 7:26

Ao ler o seu texto fiquei um bocadinho triste. O meu sonho sempre foi ter um parto normal, contudo não tive essa sorte… Durante a gravidez fiz tudo o que a medica mandou para facilitar na hora do parto: Andava muito a pé deixei de usar elevador e comecei a subir escadas, namorei muito com meu companheiro até a bola de Pilatus eu comprei e fiz os exercicios! Mas às 42 duas semanas tive que ser internada porque não havia sinal de parto… Tive 4 dias a tentarem-me induzir o parto e no ultimo dia a médica optou por me rebentar as águas que vinham já escuras com meconio (nivel 2) ainda esperaram umas horas mas acabaram por me fazem a cesariana! Por um lada acho que fiz tudo o que estava ao meu alcance na altura mas por outro à sempre uma frustração por não ter conseguido! E agora ao ler o seu texto eu pergunto-me o que podia ter feito eu ou a equipa técnica para evitar a cesariana? e será que num próximo parto consiga realizar o meu sonho de ter um parto normal?

Ryane · 24 de fevereiro de 2016 às 8:02

Então me ajuda… O que aconteceu comigo??
Na gravidez procurei um médico que aceitasse esperar pelo parto normal. E só achei 1 na minha cidade. Fiz todo o pré-natal com ela e estávamos aguardando a horabdo parto. Quando fiz 40 semanas a doutora perguntou se eu estava mesmo disposta a esperar e eu disse que sim. Passei a ir no consultório 2 x por semana. A dra falava que meu colo estava alto fechado ainda. Nem sei o que é isso. Com 43 semanas fui fazer a ultra antes da consulta e a cara da dra da ultra não foi muito boa e me perguntou se eu ia para a consulta. Respondi que sim. Ao chegar na consulta (no dia do aniversário da filha da médica com festa marcada e tudo) a dra olhou a ultra, me examinou e disse aue o bebê deveria nascer naquele momento. Entendi que estava entrando em sofrimento fetal. Eu não tive nenhuma contração, não perdi tampão algum e o bebê continuava alto.
Sempre quis parto normal e acabei fazendo uma cesárea as pressas mesmo com a dra disposta a esperar.
E aí? O que houve comigo? Sou a única mulher com defeito de fábrica??

Deborah · 24 de fevereiro de 2016 às 13:51

Olá Cris. Tenho 2 filhos de 19 e 15 anos. Em 97, quando o mais velho nasceu, ainda não existia essa rede de parto humanizado. Eu era louca pra ter parto normal, pois minha avó era índia e sempre descrevia os partos dela em casa. Achava lindo, sonhava em ter o bebê na água. Mas, na hora do vamos ver, tive a famosa ‘falta de dilatação’. Meu médico esperou até a 41a. semana, mas por conta de uma alteração nos batimentos cardíacos fui pro hospital e fiquei na indução de parto. Claro que comecei a sentir dores, tive apenas 3 dedos de dilatação e acabei na mesa de cirurgia. Impressionante. No segundo, como não tinha dilatação (estava parecido com o primeiro…) fui direto pra cesárea. Eu tive recuperações excelentes, no dia seguinte às cirurgias estava andando normalmente, até as enfermeiras perguntavam se os partos tinham sido normais. Não tenho do que reclamar, meus filhos nasceram muito bem. Só decidi escrever meu caso aqui porque me incomodo com o fato da nossa decisão, como mães, não ser respeitada. Acho muito triste isso. Hoje, sabendo dessas histórias de partos humanizados faria tudo diferente! Obrigada pela postagem e espero que isso atinja muitas mulheres, assim elas se tornam donas das suas decisões! Bjs 🙂

Sara Vituri · 25 de fevereiro de 2016 às 11:20

Olá… Adorei e concordo com tudo o que vc disse!!
E acho que o que ajuda muito é a mulher e o médico querer fazer o parto normal!
Tenho um bebê de 4 meses, e queria muito o parto normal, me preparei muito fisicamente e psicologicamente, cheguei ao hospital às 10h da manhã, quando foi às 11:27h ele nasceu! Meu parto foi como eu queria, totalmente natural, e muito emocionante! Mas mantive a calma e desejava muito o parto normal, acho que isso me ajudou bastante! Quanto mais tensa, pior é!

Cris Doula · 11 de março de 2016 às 19:55

Ryane, o que me parece é que você foi operada sem necessidade, e que foi o mais cômodo para a sua obstetra.
Porque como o post explica a mulher só dilata no trabalho de parto, pra que ela ficava fazendo toque em você?
Você chegou a 43 semanas??? Acho difícil um médico esperar tanto tempo, e ainda por cima, não induzir o parto e sim
fazer uma cesárea.
O bebê estava em sofrimento? Ela falou isso ou você entende que foi isso?
Qual foi o apgar do seu filho?
É difícil dizer sem ter teu prontuário mas eu não vi indicação de cesárea, porque ”colo fechado, alto” não é indicação.

Cris Doula · 11 de março de 2016 às 19:57

Não existe ”queixo preso na bacia” e falta de dilatação como o post explica.
Todo bebê nasce roxo e quando começa a respirar fica rosa!
Tenha seu PN e lute por ele.

Karine Gomes · 31 de maio de 2016 às 8:18

Bom dia, Cris,
Gostei muito do seu post!! Eu estou com 41 semanas (completei hoje) e gostaria muito de ter um PN, porem estou com apenas 1cm de dilatação e meu colo continua posterior, estou assim a uma semana. Gostaria de saber se já viu casos assim e se existe alguma coisa que eu possa fazer para estimular a dilatação?
Obrigada!! Beijos.

Rosiris · 31 de outubro de 2016 às 19:39

Olá. Minha obstetra sempre apoiou meu parto natural, mas me disse que se passasse de 41 semanas induziria o parto. Com 40 semanas e 3 dias, em uma quinta a noite, minha bolsa rompeu parcialmente, o líquido era muito pouco, não tive tanta certeza ser era mesmo a bolsa, avisei minha obstetra e como eu teria Ultrassom e Toco no dia seguinte, ela me orientou que se houvesse qualquer novidade que eu passasse com ela em consulta antes. Resolvi dormir e aguardar o trabalho de parto iniciar naturalmente. Na sexta de manhã, o líquido continuava pouco, mas sanguinolento. Fui para a consulta e eu tinha 1 cm de dilatação. Ela pediu minha internação para indução com introdução de comprimido. Nisso havia se passado 12 horas, recebi antibiótico e o primeiro comprimido. No hospital me diziam que meu bebê era grande e duvidavam que eu teria um parto normal. Informei isso para minha médica e ela me disse que se o bebê fosse realmente grande demais, ele próprio daria os sinais de que o parto normal não seria possível. Nada de TP… após 6 horas recebi o segundo comprimido e as 23h ouvi um estalo e senti mais líquido descer. As contrações começaram ás 2h da manhã de sexta para sabado. As 6h da manhã do sábado eu estava com 3 cm de dilatação quando fui para a sala de parto, com contrações fortes de 3 em 3 minutos. Fiquei um tempão na banheira e entraram com ocitocina. Ás 11h do sábado cheguei a 7 cm e comecei a empurrar enquanto fazia agachamentos, porém meu colo continuava alto. Me ofereceram analgesia, mas minha médica notou pouca variação dos batimentos cardiácos do bebê e achou melhor retirar a ocitocina. Continuei com as contrações e fazendo força. Minha médica fez mais um toque e me disse que teríamos que fazer a cesariana. Meu mundo caiu… Eu já estava com 9 cm e o bebê não estava encaixado, continuava muito alto. Fiquei triste, achei que eu não fiz força direito, que a indução poderia ter atrapalhado, que poderia tentar mais um pouco, enfim que alguma coisa tivesse sido feita errada. Mas a obstetra disse que o bebê estava dando o sinal que ela havia comentado antes e que não deveriamos ir contra. Agora, lendo esse artigo, fico mais tranquila de saber que foi feito tudo o que poderia ser feito, que tentei até o fim, mas que infelizmente, nem tudo sai como o esperado.
Graças a Deus, meu filho completa 1 mês amanhã, é saudável e isso é o que realmente importa. Apesar de todo o sofrimento, tentaria o parto normal novamente se um dia tiver meu segundo filho.

Cris Doula · 3 de novembro de 2016 às 23:19

Rosi, você teve dilatação!
Eu não entendi porque você começou a empurrar com 7cm, você já sentia necessidade de empurraR? Sentia vontade de fazer força?
Sua cesárea pelo que entendi foi indicada por frequencia cardiaca não tranquilizadora, não por falta de dilatação. Bjs

Nadja · 25 de agosto de 2017 às 22:44

Bom Cdia gostaria de saber então por que tantas contrações e o colo não dilatar.O que fazer nesse caso?
Estou de 39 semanas muitas contrações insuportáveis mas o colo não passa de 2 de dilatação. O que fazer?Não aguento mais tanta dor

Cris Doula · 4 de setembro de 2017 às 20:57

Aguarde iniciar o trabalho de parto, você está passando pelos pródromos. Aqui no site explica mais sobre isso.

Núbia · 5 de outubro de 2017 às 11:58

Bom dia, bom gente, meu caso é o seguinte, estou em minha segunda gestação, na primeira foi tudo tranquilo ocorreu tudo bem durante toda a gestação, quando fiz 38 semanas e três dias minha princesa nasceu, foi um parto abençoadíssimo, super rápido e praticamente indolor, foi um sonho e surreal, eu não esperava tamanha benção, eu esperava dores exorbitantes, mas enfim, não foi como eu esperava foi como Deus quis me abençoar, minha bebê nasceu pequenininha, 2,540kg, mas super forte e saudavel, agora em minha segunda gestação eu esperava o parto normal, ainda mais que foi como estou contando pra vocês, eu não esperava tamanha benção de novo, esperava dores mas esperava um parto normal, nunca cogitei uma cesaria nem na primeira gestação muito menos na segunda, ainda mais pelo meu histórico, mas enfim, amanhã completo 40 semanas e estou super ansiosa porque esta se esgotando meu tempo, na segunda dessa semana(39semans e 3 dias) tive consulta e meu médico me deu um balde de água fria, sai de lá aos prantos, morrendo de chorar, ele disse que o colo está verde e não tinha nada de dilatação e o bebê estava super alto ainda, e com o cordão em volta do corpo, disse que na sexta, amanhã,faríamos uma consulta pela manhã e que se nada tivesse mudado ele fará uma cesaria na parte da tarde, ou seja, com 40 semanas exatas, ele disse que não quer correr o risco de acontecer algo no fim de semana e ele não conseguir reunir a equipe, isso por quê moramos no interior e não temos muito recursos, queria induzir, mas ele disse que se não tiver nenhum indício de trabalho de parto ele não o fará, ainda mais que o cordão está enrolado no neném, há mais de uma semana sinto contrações de treinamento, mas nada, ontem quis ouvir a opinião de outro médico, ele disse que o neném está super bem e que aguentaria um parto normal e que ele aguentaria pelo menos mais uma semana, mas que não entraria na contuta que o médico iria tomar pq não conhecia meu histórico, mas graças a Deus eu estou super bem, não tive problemas de pressão nem nada, tive um pouquinho de anemia o q é normal em qualquer gestante, enfim, não sei o q fazer é difícil encontrar médico na última hora que queira esperar o parto normal, estou pensando em tentar ir pra capital do meu estado que é BH, mas não sei se conseguirei…não sei o que fazer…

Lorraine · 21 de outubro de 2017 às 18:09

Estou em uma 2° gestação e meu desejo é conseguir fazer o parto normal, como não ocorreu na primeira vez, estou lendo bastante (amei seu texto) pois dessa vez não quero ser passada pra trás novamente, me ajude.

Estava de 39s e minha bolsa estorou as 3hs e as 6hrs o tampão rompeu.. realmente saiu bastante liquido e permaneceu saindo ao longo do dia.. com 1cm de dilatação..
As 15hrs estava com poucas contrações e com dor moderada.. e minha dilatação permanecia com 1cm. Entao meu obstetra indicou a Cesária alegando que o líquido estava secando. Questionei se ele não podia induzir com medicamento para acelerar a dilatação (Hje sei que tbm não faria diferença é me causaria so dor) mas o mesmo disse que com a bolsa rota não aplica medicação pois ela pode ir direto para o bebê e afeta lo de forma negativa ( isso é verdade? Pode acontecer ?? )
Por insegurança minha acabei optando pela Cesária com frustração..
Hoje eu sei que o liquido não seca e perguntei ao meu obstreta porque ele me passou essa informação na época (do liquido secar) e ele respondeu que com a bolsa rota existe a entrada de bactérias que poderiam fazer mal para o bebê, citou inclusive Corioaminolite. (Isso tbm é verdade? Pode acontecer?)
Outra coisa.. é possível que nessa nova gestação meu corpo tenha dificuldades na dilatação ou minha bolsa rompa na fase latente, sem evolução ? É comum se repetir o diagnóstico ou toda gestação é diferente ?
Obrigada desde já..

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *