179900_10151581578084133_1039862633_n

Nossa, quantas vezes eu já ouvi isso. Quase toda semana alguém me procura e manda e-mail querendo saber como elas podem se tornar doula.

Se você está pensando nisso também, você precisa saber:

Doula vem do grego, a mulher que serve. A figura da doula é tão antiga quanto o parto natural. Mas ultimamente com o parto humanizado cada vez mais na mídia, muitas mulheres querem se tornar doula pela ilusão de dinheiro fácil.
Já conheci profissionais da saúde, que ao explicar o que eu fazia, a minha função, me disseram: ”Nossa, te pagam para não fazer nada então? Só pra dar a mão? Apoio? Também vou virar doula”
De interessadas em fazer o curso, já me perguntaram: ”Mas ganha bem? Só trabalhas com isso? Como tu consegue as clientes?”

Para mim tudo começou quando eu nasci. Sim, como fala a matéria acima, acompanhar nascimentos, essa paixão que eu tenho, é um dom que sempre carreguei. Tenho alguns posts no blog que contam tudo que eu experienciei na vida até chegar aqui. Eu nunca vi o que eu faço, como uma profissão, como uma maneira de ganhar dinheiro, não é um emprego. Acompanhar partos pra mim, é uma necessidade pessoal, e não financeira.

Desde criança sempre gostei de ajudar  gestantes e mães com bebês recém-nascidos. Hoje vejo essas crianças (uma já tem 15 anos rsrs) e lembro como eu ainda tão nova (10 anos) entendia do assunto. Trocava fraldas, adorava ver eles mamando e tinha uma curiosidade enorme pelo mundo da maternidade. Eu acho que eu sou ainda mais apaixonada por isso tudo, do que a minha mãe, que foi parteira hospitalar há 30 anos atrás.

Acompanhei meu primeiro parto porque eu queria muito estar lá, ver o bebê nascer, e por puro instinto, sem formação nenhuma, consegui ajudar também no pós-parto de duas mães adolescentes. Depois dessa experiência, há 7 anos atrás, eu tive a certeza de que tudo que eu queria na vida, era assistir bebês nascendo, e ajudar mulheres no processo de ser tornarem mães. Logo depois,ainda adolescente e grávida, me entreguei a esse universo, e nunca senti que estava fazendo algo ”errado”.  Aos 17 anos já me sentia totalmente preparada para ser mãe. Foi o nascimento da Sofia, totalmente diferente do que eu desejava, que  me fez finalmente descobrir que a palavra para o que eu ERA, era DOULA.

Então se você está pensando em virar doula por interesse qualquer que seja, financeiro, ”fama”, ou porque acha bonitinho, desista. Não vai dar certo. Eu não sou exemplo pra ninguém, pois a quantidade de partos que acompanho, e tudo que conquistei nesses 3 anos, não é a realidade da grande maioria. Mas se você ama esse universo, tem verdadeiro respeito e admiração por mulheres, famílias, bebês e partos, siga em frente.

O curso me deu o certificado, me deu conhecimento, me mostrou a realidade dos partos, um outro lado que eu não conhecia.

A a experiência me trouxe a realização, a vivência, que me completou. Doula eu já era, desde criança, só não sabia.

557417_3865274869497_95514331_n

Cristina Melo
Mãe da Sofia &
Doula por Amor!


3 comentários

gelli · 28 de junho de 2013 às 18:41

Oi Cristina, eu tive 3 partos normais o último com parteira e doula onde meu esposo tb acompanhou todo o processo e participou, como passei a pesquisar muito para me sentir segura durante a gestação, fiquei muito encantada com este mundo de “doular” e percebo q é o q quero de verdade fazer, quero dar apoio e proporcionar um bom momento assim como foi o meu 3º e poder evitar que outras mulheres passes que eu passei com meu 1º, sinto que é uma missão, está em meu caminho.Há uma grande dificuldade que sinto que é o curso, este ainda não consegui, mas estou fazendo um espaço para cirandas e cursos. Muito grata, seu trabalho me ajuda muito, só me resta agradecer!

Luciene Oliveira · 17 de julho de 2013 às 18:19

Olá Cris, boa noite

Estou com 39 semanas e sentindo minha barriga muito muitíssimo dura, estive no hospital com quase 4 de dilatação a medica colocou-me no soro senti muitas dores, e depois liberou-me dizendo que ainda n era a hora.

Hoje estou sentindo minha barriga muito endurecida e os movimentos da minha Julinha estão bem menos.
Devo procurar o médico?
Quero muito ter normal, sou de Salvador Bahia

Regina · 11 de outubro de 2018 às 2:03

Acabei de descobrir essa “vocação”. Entendo o que você diz. Esse ano passsi pela melhor experiência da minha vida, ajudei minha sobrinha no trabalho de parto dela. Foi a ação mais mágica que senti em toda minha vida
Ao conversar com ela e a gente falar sobre a gestação dela e tudo mais, ela me falou: Por que você não faz o curso de Doula, tenho certeza que se sairia muito bem! Agora estou pesquisando, você pode me recomendar cursos? Me dar alguma dica sei lá?
Achei linda sua história e desde a infância super parecida com a minha, sobre a vocação de ajudar os bebês as mães e tudo mais… eu fiz o técnico de enfermagem, mas senti falta de algo e a parte que mais gostei foi a maternidade as mães a importância delas antes e até pouco depois dos partos os sentimentos, a força… estou muito empolgada pra saber mais desse assunto.
Ajudar em uma gestação e um parto foram os momentos mais felizes e marcantes de minha vida. Gostaria de fazer mais vezes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *