10574426_10203270076251831_2111083032800923754_n

Sou a Ana Paula da Silva Sandre, casada com Thiago de Carvalho Sandre e mãe da Bia, Mel e Lara. Esse é o relato do meu tão sonhado vbac2 (quase concretizado).

Tudo começou com a gravidez da Bia, nossa como desejava ser mãe!! Ela foi tão desejada, amada.. E td estava correndo bem durante a gestação. E desde o início falava para minha médica que eu queria parto normal. No fim já com 39 semanas ela fez toque e disse q precisava conversar sério comigo. Ela me disse q não queria falar antes por que sabia que eu queria parto normal, mas q achava que não ia dar porque o bebê  estava muito alto e era desproporcional para a minha bacia. As lágrimas escorreram dos meus olhos naquele momento, me senti frustrada, incapaz..sei lá uma mistura de sentimentos, no entanto pensei: “ela deve saber o que está dizendo e se ela está me falando é porque é dessa forma. ( aaaah se eu pudesse voltar no tempo…como eu era ignorante por falta de informação sobre parto).

Enfim caí na desnecessária em agosto de 2010 pela primeira vez. Quando a Bia estava com oito meses engravidei novamente, voltei na minha médica e ela me disse: ” Ana agora não vai ter jeito vai ter que ser cesárea pelo pequeno espaço de tempo entre uma gestação e outra.” E eu aceitei afinal ela sabia né e eu confiava nela, achava que ela sabia o que era melhor pra mim. Quando a Mel estava com 1 ano engravidei novamente. Nossa lembro como fiquei com receio de ir lá novamente, pensei que a médica me daria a maior bronca e ela já tinha decretado que eu jamais poderia fazer parto normal, afinal eu já tinha duas cesarianas. Em uma das consultas ela me perguntou: “Ana você quer q eu solicite o papel da laqueadura? Fiquei horrorizada, eu falei: “como? Laqueadura? Nem pensar.. Eu jamais faria.”

Sai de lá e fui pra internet, comecei a pesquisar sobre parto normal apos duas cesáreas pra ver se existia. Achei a Cris Doula e mandei um e-mail contando minha história. Ela respondeu e novamente lágrimas rolaram dos meus olhos. Ela havia dito que acreditava ser possível um vbac2 no meu caso. Me indicou a Rox. Foi paixão a primeira vista, era a médica que eu precisava. Com 40 semanas e 5 dias, de madrugada comecei a sentir uma cólica e pensei: “Acho que comi algo q não fez bem.”  Era o início de tudo, passei duas madrugadas com contrações irregulares, no terceiro dia já pela manhã sentia contrações mais fortes. Foi aí que liguei pra Rox, fui pra Florianópolis ainda naquela manhã. Cheguei lá e ela fez um toque, estava com 3cm de dilatação e o tampão saiu na mão dela. Eu estava toda animada, nem acreditava q tudo estava acontecendo e que era possível sim. Sai de lá fui p shopping andar e comer algo e as contrações foram intensificando, mas totalmente suportáveis.

Chamei a Cris e fui para o  hospital de novo, a Dra fez outro toque pra ver se  tinha evoluído ou se eu poderia voltar pra casa. A bolsa rompeu sem querer durante o toque. A Dra me internou, lembro de ficar falando muitas coisas com a Cris e meu marido, de dar risada, chupar chicletes.. Hehe.

10460318_10203270076971849_6393904439961354111_n

1618483_10203270078331883_3945824366780251969_n

image

Mais com 7 de dilatação o bicho pegou, as contrações engrenaram, mil coisas se passavam na minha cabeça, no entanto não conseguia falar..foi então que o medo bateu, parecia que algo não estava certo. Comecei a pensar que não ia conseguir, comecei a sentir dor na cicatriz. Pedi analgesia, tomei duas. Mesmo assim não acabou de dilatar, parou em 8cm. Já eram 3 e pouco da madrugada, a medica examinou novamente e disse:  “Ana, tem alguma coisa errada e eu não sei o que é.”

Vamos fazer uma cesárea agora e talvez eu descubra o problema. Eu disse: ” tá bom” e chorei !! Lembro da Cris acariciando meus cabelos!! E a Dra não conseguiu descobrir, falou q meu útero estava ultra mega fino e que acha que a contração devia estava indo para a cicatriz. Disse:” Dra eu não queria dizer nada, mas eu não aguentava mais!” Ela deu uma risada carinhosa e disse: “Não é por isso que vou fazer a cesárea!”
Minha recuperação foi muito difícil, parecia que tinha sido atropelada por um caminhão hehe. Fiquei resfriada e com dor de cabeça durante um mês. Mais valeu a pena!! Faria tudo de novo!! Quem sabe um dia um vbac3!! De uma coisa não tenho dúvida:

“Todas as coisas cooperam para o bem daqueles que amam a Deus”(romanos 8:28).

10580094_10203270077771869_7368907103185828536_n
Um grande abraço a todas!!

Ana Paula Sandre


0 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *