fb_img_1476207008071

Relato de um parto humanizado:

Era dia 14/09 à tarde e senti um enorme desejo de comer bolo de banana com canela, e como tinha os ingredientes em casa fiz o bolo e comi. Até postei uma foto do bolo no  facebook intitulada: último desejo de grávida. À noite depois do banho tirei várias fotos do meu barrigão. Com 37+3 semanas eu queria registrar cada momento da reta final… sexto sentido de mãe é poderoso.

Às 03:30h da madrugada do dia 15/09 acordo sentindo uma fisgada, viro de lado e outra fisgada mais um corrimento. Corro pro banheiro e grito pro meu marido: Aconteceu alguma coisa, acho que a bolsa estourou. Ligo pra Cris que me aconselha a ir pra maternidade.  Em meio a carregar o carro e ligar pra família chegamos no Ilha por volta das 04:30h e aguardamos atendimento até as 06h aproximadamente. Neste momento as contrações já tinham iniciado ainda irregulares e tinha somente 1cm de dilatação. Eram 10h da manhã e as contrações ficavam cada vez mais intensas e regulares, liguei novamente pra Cris e pedi que ela fosse para a maternidade, e ela chegou por volta das 11h. Eu estava no chuveiro pra aliviar a dor.

fb_img_1474051279041
Logo muitas contrações e a dor mais e mais intensa. Tinha trocado o plantão, já era o terceiro desde que eu havia chegado no Ilha. Em conversa com a médica decidimos ir pra sala de parto para ver se conseguíamos diminuir a dor e acelerar o trabalho de parto. Já eram 12h de trabalho de parto e apenas 2cm de dilatação.

fb_img_1474051318478

A dor era insuportável no baixo ventre, eu gritava desesperadamente e apertava a mão do meu marido que estava com um semblante de apavoro em meio a minha dor mas ainda assim me dando todo o apoio que eu precisava naquele momento, além da Cris sempre com as suas sabias palavras e a sua tranquilidade nos dando todo o suporte que necessitamos naquele momento… até que eu comecei a passar mal, muito mal, falei pra Cris e pro meu marido chamarem a médica porque eu não estava nada bem, fiquei branca e tremia incessantemente.

Veio a enfermeira para fazer a avaliação e logo a médica. A minha pressão estava extremamente baixa apesar dos batimentos cardíacos do bebe estarem normais. Tinha que tomar a decisão e perante a tudo o que eu estava sentido eu ouvi o meu corpo e disse que queria ir pro centro cirúrgico que foi preparado urgentemente. Em meio as contrações foi feita a troca de sala, o soro, a anestesia. Eu estava amedrontada, ansiosa e exausta.

Realizada a cesárea a médica constata: ruptura uterina! Esse era o motivo do mal estar. Soube ouvir meu corpo, a Cris sempre fala isso… Não demorou pra minha bebe nascer, e apesar de ter querido um parto vaginal, me senti aliviada em ter decidido pela cesárea e chorei de felicidade ao ver a minha Cissa. Sim, eu a vi nascer, meu marido cortou o cordão umbilical, tive minha filha nos braços e amamentei na sua primeira hora de vida. Foram 01:30h de procedimentos devido as condições do meu útero. Apesar de tudo me senti o tempo todo amparada.

fb_img_1474051358614

fb_img_1476206860790
Tive a minha Doula, o meu marido, uma equipe ótima e um anjo chamado Dra Nathalia que Deus colocou nos nossos caminhos naquele dia.

fb_img_1476206983350
Quero com esse relato dizer que o parto humanizado é possível sim em meio a uma cesárea. E não há nada mais gratificante que vc ser respeitada. Me sinto muito feliz e nem um pouco frustrada. Passaria por tudo outra vez!

E assim, no dia 15/09 as 17:44h a Cissa nasceu com 48 cm pesando 3.080,00 kg a 37+4 semanas de gestação, super saudável e, … linda!

Katherine Motta


0 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *