Cada vez mais os companheiros querem participar ativamente do parto, isso não é obrigatório, então se você está prestes a se tornar pai e não é fã de sangue, não se sinta pressionado. Mas se você quer participar do processo e curtir tudo, saiba o que você pode fazer.
Você pode fazer TUDO!

O apoio na escolha do parto e o carinho com a gestante  já começam na gestação e no trabalho de parto se intensificam. A massagem,
preparar refeições, ajudar a arrumar tudo pra maternidade, apoiar a presença de uma doula, também são importantes.

Mas e no parto?
Por lei toda gestante tem direito a um acompanhante em todo o processo, inclusive no parto, infelizmente nem sempre respeitam esse desejo.
No SUS você terá de seguir as regras da instituição e suas rotinas, então vai provavelmente ficar ao lado da mulher, sem assistir bem o que está acontecendo lá embaixo.

Mas se você for em uma maternidade particular com seu obstetra a favor do parto natural, você pode conversar com ele para que se for possível
( se o parto não tiver complicações) você possa ser ainda mais ativo.

Como?

Não é  incomum em maternidades com banheira, que o pai do bebê entre junto com a mulher e fique até o nascimento do bebê.
Geralmente quando o bebê sai a primeira pessoa a pegá-lo é uma terceira pessoa, o obstetra. Mas se você deseja pegar o bebê antes de todos, converse com sua esposa para que ela autorize ( hehe), e diga para o obstetra que isso é o seu desejo, e veja se ele concorda.
Após o nascimento, cortar o cordão umbilical, é um procedimento simples e totalmente indolor pro bebê, deixe claro que você gostaria de fazê-lo.

Quando o bebê for para o colo da mãe, o pai pode ajudar na amamentação, deixando-a confortável, e logo com os cuidados com o bebê.
Aproveite esse momento e suas possibilidades ao máximo, é um momento único e especial, e também é seu.

Cris De Melo
Doula! 


0 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *