Micaela Torres Fotografia

Cristina Melo – Florianópolis/SC

Minha mãe quando jovem atuou como parteira na maternidade Carlos Corrêa, e sempre contava suas experiências para mim, então desde criança eu achava a gestação e o nascimento algo lindo. Toda vez que alguém da família engravidava eu festejava, e sempre que algum bebê nascia eu ia visitar.

Em 2006 com 16 anos, tive a oportunidade de acompanhar meu primeiro parto. Minha tia estava gravida do segundo filho e me ofereci para estar junto ajudando-a como fosse necessário. Foram 24 horas de trabalho de parto e no final ela pariu um bebê com mais de 4 kg.

Achei lindo como um bebê nasce, como a mulher se recupera rápido, mas me deixou triste a violência obstétrica que ela sofreu. Várias intervenções desnecessárias, frases que ninguém deve ouvir, muito menos no parto. No dia seguinte ajudei outras duas jovens mães a cuidarem de seus recém-nascidos que dividiam o quarto com ela, por instinto auxiliei na amamentação, troca de fraldas e outros. Me senti realizada!

Por ironia do destino fiquei gravida poucos meses depois e tive minha primeira filha aos 17 anos.
Acabei passando por uma cesárea eletiva por indicação da minha obstetra.
Não gostei do procedimento mas tive uma boa recuperação. Apesar de ter corrido tudo bem senti que faltava alguma coisa.

Comecei a ler sobre partos, pesquisar, conheci o mundo das doulas então me formei como técnica de enfermagem e doula no mesmo ano.

Em 2018 decidi ter meu segundo filho e realizei o sonho de parir naturalmente na água. Foi uma experiência incrível e contei com o apoio de uma doula mesmo eu sabendo tudo sobre partos, sabia que merecia alguém para cuidar de mim e apoiar meu parceiro durante todo o tempo. 

Minha missão desde 2010 é ajudar o máximo de mães possível com informação, apoio e técnicas para para facilitar o parto. Todas merecem uma doula e o parto que desejam ter. Apoio e informação são fundamentais nesse processo.

Cristina Melo
Mãe & Doula!

7 comentários

barbara darc · 7 de janeiro de 2012 às 8:38

Muito emocionante o modo como começou sua caminhada para ser doula é uma grande alegria poder ver o relato dos partos que você auxilia.Parabéns.

Carla · 9 de janeiro de 2012 às 13:43

Cris, eu acompanho teu blog já faz um tempinho e a cada texto que tu escreve eu me emociono, é incrível essa sensibilidade e amor pelo que tu faz. Estou tentando engravidar e é claro que já tenho ideia fixa que será um parto natural quando acontecer. A única coisa que me deixa triste é morar tão longe e tu não poder ser minha doula.

Parabéns pelo teu incrível trabalho.

Jana Melo · 9 de fevereiro de 2012 às 16:11

Oi de novo Cris! O meu caso foi exatamente igual ao seu…tb tive streptococos tipo B e meu médico também me disse que a cesária era melhor. Disse que eu poderia tentar o parto normal, mas que seria um risco para minha Júlia. Eu fiqueiuito assustada quando pesquisei na internet sobre isso e acabei fazendo cesária! Já tinha até visitado a clinica pra tentar o parto na água. Mas infelizmente não deu. Teu blog é muito legal e você deve ser maravilhosa como doula e como pessoa também! Porque só uma pessoa com muito amor e luz pode ser doula!
abraço
Jana Melo

Suzana · 29 de fevereiro de 2012 às 20:24

Linda história! Através de vc eu começei a conheçer o parto humanizado,e a me emocionar com videos de parto na água! Logo quando descobri sobre esse tipo de parto, engravidei com a mesma idade que vc engravidou,hoje estou com 30 semanas e 6 dias de gestação do meu amor Maria Flora,engravidei com 16 e agora estou com 17,meu namorado vai fazer 21 agora em maio, espero que o meu parto seja normal,gostaria muito que fosse parto na água, mas como tudo me aconteçeu em cima da hora não dá, pois não tenho condições e onde moro não conheço nenhum lugar onde faz parto humanizado na água! estou cheia de medos pois terei meu parto em hospital público e já ouvi mil conversas sobre o hospital, mas tenho esperança que dê tudo certo! Tudo é muito novo pra mim.. espero que numa segunda gestação eu possa ter oportunidade de ter parto humanizado, nem que pra isso eu saia daqui de recife-pe! desejo a todos felicidades e um beijo enorme pra vc Cris!

Ana Maria · 4 de junho de 2012 às 13:16

oii.. Cris.. parabenss.. pelo seu trabalho.. cada frase escrita é uma emocao.. me formei em biomedicina.. agora.. trabalho no centro de saude de campo Bonito e gostaria se voce puder me passar algum contato.. sobre o curso que vc fez…
obrigada…

Ana · 11 de junho de 2012 às 3:11

Oi, adorei a historia! é vive a pouco tempo uma das experiencias mais lindas, que foi acompanhar o parto da minha filha, que aos 15 anos deu a luz a minha primeira netinha. sempre aconselhei que ela tivesse parto natural, mesmo com medo e receios pela sua idade acabou tendo um parto natural sem indução, fiquei com ela durante todo processo, acompanhando e na ocasião uma enfermeira vendo como agi passando tranquilidade para minha filha disse que eu deveria ser doula eu achei incrivel, já pensou eu ajudando mulheres no momento mais linda da vida, que é dar a luz ao seu filho… sucesso!!!
estou realmente pensando na idéia.

Nayane · 29 de junho de 2012 às 2:22

Oii Cris!! Primeiro, me identifiquei muito com você, porque desde pequena gostava de pegar no colo os bebês da família.. as minhas tias morriam de medo de me entregar os bebês delas.. eu era muito pequena!! Que eu me lembre, com 6, 7 anos já queria ficar cuidando do bebezinho o tempo todo.. mulheres grávidas então eu ficava fascinada! Sempre achei lindooo aquele barrigão, o jeito diferente de andar, aquele nariz inchadinho, aquele brilho diferente no olhar.. Sou enfermeira há 2 anos e também casada há 2 anos. Não trabalho na área por, mas sinto que fiz a faculdade certa e sou muito feliz por isso. Há muuuito tempo leio e estudo muito sobre gestação e parto.. já vi muuitos vídeos, depoimentos e ameii sua pagina.. adorei aquela parte que explica sobre cada uma das desculpas esfarrapadas que os obstetras inventam pra meter a faca na mulherada rs. Ee e meu marido estamos planejando nosso 1 filho para o ano que vem, mas me entristeço quando penso na realidade que me espera.. moro em Primavera do Leste – MT e a opção melhorzinha e mais próxima que seria viável me deslocar seria a capital, Cuiabá, que bem conheço, pois fiz a faculdade lá e não existe humanização do parto, doulas, médicos que apoiem o PN.. As poucas enfermeiras obstetras que existem, não atuam na área porque não há demanda para elas. Sim.. aqui ainda é um absurdo aos olhos de todos uma gestante dizer que quer ter um parto normal, natural na água.. domicílio?? Jamais!! Tá louca.. é isso. Gostaria muito que fosse tudo diferente, normal, como deveria ser.. poderia ter uma Cris aqui no MT né?? rs
Que Deus continue abençoando seu lindo trabalho Cris.. de ajudar as mamães a terem seus filhos dessa forma tão linda e tão especial.
Abraços

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *