Relato da Viviane – Nascimento Antônia – Parto Natural 06/08/2016

28 de maio de 2017

Vou começar o meu relato contando um pouco da minha gestação. Eu e o Gu descobrimos que estava grávida com 3 semanas. Foi na primeira tentativa que “engravidamos”. Com um dia de atraso da menstruação, fiz o exame de sangue. Positivo. Daquele dia em diante sabia que nossa vida iria mudar.
Tive uma gravidez super tranquila. Com 13 semanas descobrimos o sexo: Antônia estava a caminho. Com 17 semanas a senti pela primeira vez e ao longo de toda a gestação ela sempre mostrando que estava ali.

O parto normal sempre foi o meu sonho, mesmo quando não estava grávida. Como enfermeira, estudei e acompanhei partos na graduação e sabia o benefício que ele traria pra mim e para o bebê. Quando engravidei comecei a ler mais relatos de parto e a ideia de fazer o parto normal só se fortalecia. Tinha muita curiosidade em saber como seria o meu trabalho de parto. Muitos me chamavam de corajosa, poucas foram as que me incentivaram. Mas nunca desisti do que eu sempre idealizei e sonhei. Claro que no final, quando sabíamos que a Antônia já podia vir, foi dando  friozinho na barriga.
Na quarta-feira, dia 03 de agosto, fui consultar com o Dr. Fernando.

Ele me examinou, viu a altura, bcf. Estava tudo bem. Mas a Antônia ainda estava alta. Estava de cabeça para baixo, mas ainda não estava totalmente encaixada. Provavelmente só viria na outra semana ainda. Mal sabia eu (e ele), que essa seria a última consulta do pré-natal. Na sexta-feira, dia 05, pela manhã fiz as unhas e pela tarde as sobrancelhas. O salão que faço as sobrancelhas fica mais ou menos a um quilômetro da minha casa. Como o Dr. Fernando falou que provavelmente só viria na semana seguinte, fui a pé até o salão pra ver se dava uma “acelerada” e Antônia encaixasse.

Deu certo, muito certo aliás. Com 39+1 entrei em trabalho de parto. No caminho de volta do salão comecei a sentir algo diferente. Não tinha dor e por isso nem imaginei que já pudesse ser uma contração. Às 15h, quando cheguei em casa senti uma cólica, diferente das que eu já tinha sentido. Senti mais uma vez, outra e mais a cada 15/ 20 minutos. Mandei uma mensagem pra Cris. Mas não criei expectativas, pois poderiam ser somente pródromos, o que se estenderia por mais alguns dias.

Então, relaxei. Não avisei ao Gu. Ele estava indo pra Joinville e não quis preocupá-lo. Sabia que não iria sossegar. Lá pelas 19 horas as contrações já estavam um pouco mais fortes e mais frequentes. Junto com meus pais e minha irmã, fomos jantar na casa dos meus sogros. O Gu só foi chegar as 22 horas e as contrações cada vez mais fortes. Fomos para a maternidade avaliar. Estava somente com 1cm de dilatação e fui orientada a retornar para casa e voltar para reavaliar a 1 hora da manhã. Já em casa fui para o banho e deitei um pouco, tentei descansar, sabia que o TP entraria madrugada a dentro. Voltei para o Ilha as 2h da manhã, quando comecei a sangrar.

Era o colo abrindo. Agora já com 4cm, internei e o Gu ligou pra Cris. No quarto, não via a hora da Cris chegar, sentia que iria me sentir mais segura. E foi isso mesmo. Cris chegou rapidinho e me deixou muito aliviada. Dali fui para o banho, para a cama, para o banho e para cama. Logo fomos para o quarto da banheira, que era o meu sonho ter minha filha na água. Mas quando cheguei no quarto e olhei para ela (banheira) não consegui entrar. A bola então, não podia nem ver na minha frente. A playlist que tínhamos escolhido, não consegui escutar uma música. Estava irritada, só queria ficar quieta. Meu deus, planejamos tanta coisa para o TP e na hora, saiu totalmente diferente. As 4:30 Dr. Cláudio veio fazer um toque. 7cm. É, tava chegando.

A pergunta era, será que demoraria muito? Finalmente consegui entrar na banheira e foi a melhor coisa. Como me senti bem ali. Depois disso não tinha mais noção de tempo. O Gu falou que dormiu quase uma hora, pra mim foram 5 min. Tudo passou muito rápido, pelo menos pra mim. As contrações já eram muito mais fortes e muito mais frequentes. Lembro que dizia que não ia aguentar. Tentava me focar que era menos uma, mas era difícil.



Comecei com os famosos puxos, a bolsa estourou  e a vontade de empurrar só crescia. De repente não sentia mais a dor das contrações. Sentia a Antônia descendo. Foi tudo muito rápido. A Cris pediu pra chamarem o obstetra porque estava nascendo. Foi acabar de ligarem, Antônia nasceu num lindo e emocionante parto a jato pelas mãos da Cris, minha Doula/”parteira” as 6:45 do dia 6 de agosto. Veio direto para o meu colo. Tão frágil, tão pequena e daquele momento em diante mudou a minha vida. Até hoje não consigo explicar com palavras esse momento.



Foi a coisa mais incrível que já fiz. Sim, eu consegui. Me senti realizada. Só conseguia olhar para aquele serzinho que tinha acabado de sair de mim. Antônia me transformou. Hoje sinto muita, mas muita saudade daquele dia. Vontade de voltar no tempo. Obrigada Cris e Gu por não me deixarem desistir, por acreditarem que eu conseguiria. E obrigada Deus pela minha filha!

Créditos: Fotonascer

Relato da Marina – Nascimento Lorenzo – Cesariana 29/01/17

26 de maio de 2017

Sempre tive o sonho de ser mãe. Mas nunca tinha pensado de que maneira gostaria que meu filho viesse ao mundo.

Enquanto tentante, descobri o @blognovemeses e me apaixonei pro trabalho da Dra. Karol. Desde então comecei a sonhar com um lindo parto normal. Porém, meu sonho era um parto normal com tudo que tivesse direito! E nesse direito tinha a Doula claro!

Entrei em contato com a Cris e a empatia foi instantânea. Começamos nosso acompanhamento. Gravidez super tranquila. Só estávamos rezando que o Lorenzo não se apressasse pois a tia Cris iria viajar e voltaria pertinho do prazo dele.

Desde a 36 semana comecei a ter muitas contrações de treinamento. Sempre irregulares, algumas com pontadas, outras com cólicas….

Na consulta de 37 semanas a ansiedade já tomava conta de mim! Fizemos o exame de toque e já estávamos com o colo do útero modificado (mais fino) e 1 cm de dilatação. A Dra.  Karol achou que pelas contrações e pelo toque logo logo entraríamos em TP….que não passaríamos das 38 semanas. Confesso que depois de ouvir isso a ansiedade multiplicou por 1000 e passamos a semana inteira achando que fosse ser “amanhã”! Mas nada….continuávamos nas contrações irregulares apenas. Passada essa semana não quis mais saber de previsões. Só estavam me deixando com a ansiedade a flor da pele.

Dia 27/01 a Cris chegou de viagem! Enfim…..Lorenzo havia esperado por ela!!! Ufa!!! Resolvemos então tomar o chá da “bruxa”. Faltavam apenas 3 dias para completar as 40 semanas. Já haviam a me afastado do trabalho e estava em casa esperando nosso momento. Um sentimento misto de querer ver logo a carinha dele, senti-lo nos braços….e de querer protegê-lo para sempre na barriga! Tomei chá o dia inteiro, rebolei na bola, caminhei…..e nada.

Na madrugada do dia 28/01 acordei às 2:30 da com contrações e não consegui mais dormir pois elas estavam acompanhadas de uma cólica chatinha. Começamos a monitorar os intervalos das contrações porém estavam bem irregulares. Passamos a noite andando pela casa…..rebolando na bola (meu corpo pedia movimento)….e falando com a Cris no WhatsApp (santo whats).

Chegamos na manhã de sábado com as contrações em 5/5 porém não tão intensas. Após conversar muito com a Cris resolvemos ir pro ilha avaliar.  O médico plantonista me atendeu e fez o exame de toque. Estavamos ainda com 2cm de dilatação porem com o colo totalmente apagado.

Ele resolveu me internar e disse que pelas minhas contrações até meio dia Lorenzo estaria nos meus braços. Coração a mil….liga pra Cris, liga pra Dra. Karol, avisa a família….vai nascer!!!! Coração a mil!!!

Liguei para a Karol, e ela resolveu ir no ilha me avaliar. Após a avaliação sugeriu que eu voltasse pra casa. As contrações haviam diminuído e poderia demorar um tempo ainda pra dilatar…..Confesso que foi um balde de água fria! Não havia chegado a hora? Haja coração!! Resolvemos ouvir a nossa Karol! Cancelamos tudo e voltamos pra casa! Médica, Doula, mala e cuia!

Santa decisão! Foi só chegar em casa que a dor das contrações triplicaram! Mas em casa eu estava bem mais a vontade! Fomos pro banho quente, rebolei na bola, caminhei, mas contrações regrediram e não saiam do 8/8… porém estavam muito mais intensas. Muito mais! Não conseguia descansar, já eram 9 da noite e elas continuavam de 8/8….. Ficamos durante todo o dia com a Cris me acompanhando…..me dando forças para aguentar firme e esperar diminuir o intervalo!

Depois de chorar litros em casa porque  não evoluíamos, resolvi ligar pra Dra. Karol. Ela disse que tínhamos a opção de avaliar novamente e ver as possibilidades, ou aguardar em casa pra ver se chegava em 5/5 minutos.

Depois de conversar com o Rafa (meu marido) tomamos a difícil decisão de ir avaliar novamente e correr o risco de ir para um cesárea, pois eu já não tinha mais forças….não me aguentava mais em pé…..afinal já estava a 19 horas com contrações e sem dormir. Meu corpo já estava cansado. Liguei para a Karol com o coração na mão e o choro entalado na garganta.

Fomos encontrar ela no ilha e quando ela fez o toque…. ela abriu um sorriso e……7cm de dilatação! Felicidade a mil!!! Enfim tínhamos a esperança de um parto natural! Cris….corre pra cá!!!! Chegou a Cris, o fotógrafo, a família ….todo mundo feliz!

Após uma hora de chuveiro quente, bola, meia luz e massagens já estávamos com 8cm….evoluindo super bem!

Vamos para a sala de parto! E foi só entrar na banheira pro bicho pegar…..as contrações estavam muito próximas e muito intensas, e eu já estava muito cansada. Já era 2:30 de domingo….24hs acordada com contrações….disse pra Cris e pra Karol que já não sabia se aguentava muito mais tempo naquela situação.

Pedi analgesia….não ia conseguir chegar até o final….Tomei a analgesia e encontrei o céu! Nesse momento já estava com dilatação total, aguardando o expulsivo.

Aproveitei pra descansar o corpo e a mente…tentando ganhar forças para o expulsivo.  Depois de duas horas as contrações voltaram…..Avaliamos novamente e ele continuava na mesma posição. Ele precisava descer!!!

O bixo voltou a pegar….e não sabíamos quanto tempo levaria o expulsivo. Meu corpo já estava sem forças. E depois de uma longa conversa chegamos a decisão de partir para a cesárea.

Quando chegamos no CC e deitei na mac, chorei. Por um momento me senti impotente…..mas no fundo sabia que tinha dado meu maximo para aquele momento! Respirei fundo, me acalmei e em poucos minutos a Dra. Karol trouxe pra mim meu bem mais precioso! Impossível conter as lágrimas! Depois de tanto tempo, esforço e dedicação ver ele ali, lindo e com saúde me fez esquecer de tudo! O tempo parou naquele momento! Foi mágico!

Foi aí que a Dra karol disse que ele estava em OS (uma posição mais difícil para o parto normal), e que provavelmente demoraria um pouco mais que o normal para descer…..me tranquilizei!

Foi lindo! Foi como ele escolheu nascer! Foi como tinha que ser!

A Cris e a Dra. Karol são muito iluminadas! Tenho certeza que se não fosse a confiança no trabalho delas eu teria desistido antes!

Foram no total 27hs em TP……com dor….levando o corpo ao extremo…..mas quer saber? Passaria por tudo novamente! Ter meu filho nos braços foi recompensador!!!! 💙

Fotos: Marcelo http://marcelosch.com.br

 

%d blogueiros gostam disto: