Existe disponível na internet um documentário incrível chamado ” The business of being born” que já citei aqui em alguns posts. Hoje eu enviei para um casal que vou acompanhar este mês, e resolvi assistir novamente. E o vídeo me inspirou a criar um post.

A verdade é que a grande maioria dos profissionais que atendem partos, não compreendem o processo e fisiologia do parto natural. E a culpa disso é a formação na faculdade de medicina e a residência. Os profissionais se formam para aprender a fazer cesáreas, partos com ocitocina, episiotomia, fórceps, kristeller e outras intervenções. Eles não aprendem a sentar no chão no canto de uma sala, e observar uma mulher parindo, por horas e horas sem qualquer tipo de interferência.

Então, nos deparamos com obstetras que na grande maioria, não procuram entender o processo do parto natural, em hospitais.
Hospitais são negócios, eles querem as camas cheias e depois vazias, eles não querem mulheres andando pelo hospital em trabalho de parto.
E é um fato que o hospital não quer saber o que você quer, ele tem seus protocolos e rotinas pois tempo é dinheiro.
Por isso depois de certo tempo se você não está evoluindo rápido, você será obrigada a receber ocitocina que cria uma mega-contração, e que aumenta a dor, e por isso provavelmente você vai pedir uma analgesia.

E com a analgesia, a contração acaba se espaçando, aí é necessário aumentar a ocitocina. Depois de um tempo, o bebê já está cansado dessa mega-contração. A cada contração natural o bebê recebe menos oxigênio, mas ele lida muito bem com isso. Com uma mega-contração, ele precisa ficar mais tempo recebendo menos oxigênio, e possivelmente isso vai causar uma bradicardia ( quando o batimento cai e fica abaixo de 110 batimentos por minuto.)

Então, apesar de toda informação e tudo que você deseja, você acaba em uma cesárea. E o obstetra e seus parentes podem dizer que você é a culpada, porque ”forçou” um parto normal, porque você deveria ter feito uma cesárea eletiva. Quanto na verdade, foi o SISTEMA que causou a sua cesárea, com uma intervenção atrás da outra.

Ai, que coisa cansativa né?

A verdade é que pouquissímos partos naturais acabam tendo alguma complicação, e que essas mulheres de baixo risco poderiam parir em casa com profissionais capacitados. Mas na nossa cultura o normal é parir em um local onde as intervenções acontecem normalmente e sem necessidade.

E a verdade é que esses partos deveriam ser responsabilidade de enfermeiras obstetras e parteiras, capacitadas para atender partos sem complicações, como na Europa e no Japão, onde as parteiras atendem cerca de 80% dos partos naturais. Mas não, apesar de capacitadas elas não podem atender partos em hospitais… isso não faz sentido.

O engraçado do parto em casa, é que é muito fácil falar que o parto domiciliar é arriscado, que as chances de coisas acontecerem são maiores, enquanto as estatísticas mostram o contrário! Os países onde o parto domiciliar é comum, o índice de mortalidade materno e infantil é menor. Mas se você está tentando ter um parto domiciliar, e ele não dá certo, você nem fala que estava tentando um parto em casa.
Porque se você falar, será tratada como uma leprosa, vai ouvir comentários irônicos e piadas. Aliás você vai ser tratada assim até mesmo se o seu parto em casa for maravilhoso.

Então, se você quer um parto natural TENHA UM OBSTETRA HUMANIZADO, TENHA UMA DOULA E/OU FAÇA O PARTO EM CASA COM PROFISSIONAIS QUALIFICADOS!

Informe-se, leia, exija seus direitos mas entenda que certas barreiras você não vai conseguir quebrar, você dificilmente terá um parto natural com um obstetra cesarista, vale a pena o risco?

Para quem quiser assistir o documentário:

Cris De Melo
Doula! 


1 comentário

Patricia · 4 de maio de 2012 às 14:09

Verdade Cris! Muito esclarecedor esse seu post!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *