1– Por quê vocês decidiram ter uma Doula?

Primeiramente porque não tinha nenhum familiar perto, e pesquisando na internet fui descobrindo uma série de benefícios além do apoio emocional. Como queria o parto mais natural e sem intervenções, queria sentir meu corpo e as sensações e poder suportá-las de maneira natural, descobri que a doula poderia ajudar em tudo isso.


2- Como descobriram o que era uma doula e como escolheram a de vocês?
Pela internet encontrei algumas doulas, fiz entrevistas mas vi que há várias linhas de acompanhamento. Quando conhecemos a nossa foi imediata a simpatia e tive certeza que era ela. Fizemos uma entrevista na casa dela, eu e meu marido. Ela também nos entrevistou. O valor era acessível para nós, então fechamos.


3– Como foi ter uma doula no parto?
( Opnião da mãe) Foi um mix de atenção, segurança, carinho, amizade e conhecimento. A participação da doula me deixou mais tranqüila para aproveitar todo o parto sem me preocupar com as intercorrências que poderiam acontecer e me ajudou nos exercícios para alívio das dores, posições para a descida do bebê, as palavras de apoio e tranquilidade, a ajuda no banho e até mesmo a filmagem e fotografia, pois como já imaginava o papai iria se atrapalhar todo e esquecemos a câmera, hehehe. Nos acompanhou nos primeiros momentos, conversando, descansando… até voltar da partolândia.


Como foi ter uma doula no parto? ( Opnião do Pai).
Ajudou muito, transmitindo tranqüilidade e segurança. Principalmente com os exercícios que aprendemos. Ela foi muito legal e amiga. Não era uma pessoa estranha. E ela gosta do que faz, isso é muito bom.


4- Como foi o trabalho de parto e parto? Se pudessem voltar atrás, fariam algo diferente? 
Meu trabalho de parto começou às 22h00 e sentia algumas dores como cólicas. Conversava com doula pelo msn. Estava de 38s2d e tive uma consulta naquele dia mesmo, onde o médico disse que estava alta e iria demorar uns dias mais… achávamos que eram os pródromos. Fui dormir e ao deitar as contrações foram aumentando, aos poucos. Contava mentalmente e pareciam bem esparsadas, meu marido dizia que não era a hora ainda, me fazia massagem (dormindo) e dizia pra eu dormir. E por aí fui, madrugada a fora… só pensando no momento que estava chegando, tranqüila e feliz. Não queria incomodar a doula, nem deixá-la preocupada antes (vê se pode?). Quando olhei e ainda era 2h30 da madruga, pensei que a noite seria looonnga, fui pro chuveiro e o TP se intensificou, fomos ao hospital e com o toque foi constatado 3cm de dilatação. Voltamos pra casa, contente e sabendo que Aline chegaria logo, logo. Assim, mais tranqüila, consegui dormir e quando acordamos já era 8h00. Avisamos a doula e o médico e nos encontramos na clínica. Chegou doula sorridente e caminhamos no pátio até liberarem a sala de parto. Me troquei, examinamos a dilatação, 7 cm, monitoramos o bebê e tudo belezinha, mas estava alta. Então dr. Marcos indicou começarmos a trabalhar de verdade: Rebolando, dançando, bola suíça, se divertindo, tomei suco, água. Já estava lá, na partolândia, quando estourou a bolsa, havia esquecido desse detalhe. Estava na posição de quatro, pois aliviava. Quando vi o líquido esverdeado fiquei preocupada e a doula me tranqüilizou (isso foi muito importante pois a tensão poderia ter atrapalhado o TP). Pediu pra chamar o dr., entrei na banheira, bem quente e as dores aliviaram, mas logo começou o período expulsivo e creio que em 15 minutos nasceu Aline, num susto lindo e emocionante. Alívio em ver minha filhota lá, saudável, viva, linda!


5- Vocês acreditam que o parto tem alguma relação com a personalidade do bebê? Não acredito que o parto em si, mas em todo o período da preparação da mãe, do apoio dos familiares e amigos, nos primeiros momentos e no cotidiano. Acredito que a mãe acredita em seus instintos e seus conceitos, que saiba o porquê de certas atitudes e que transmita segurança para a criança pode sim relacionar com a personalidade do bebê.


Agora, acredito sim que o parto ajuda em diversos processos fisiológicos que beneficiam o bebê e a mãe, mais que tudo. E na recuperação, e tudo isso poderá interferir nas coisas que disse antes.


6- No próximo filho, pretendem ter outro parto normal? Com certeza.


7- O que vocês gostariam de dizer aos casais a espera de um bebê?Dicas, conselhos entre outros.
Se alimentem bem, façam exercícios, caminhada. Treine cócoras, massagem perineal. Indico também o curso de gestantes do HU. Conversem com seus bebês, cantem para ele. Leiam bastante mas confiem nos instintos. Só escutem experiências boas, diversas. E tenham uma doula!


8- Como é a vida após a chegada do bebê?A vida é completamente diferente, mesmo que a gente tente imaginar… pra nós a vida agora é completa e feliz. Olhar minha filha é a última coisa que faço entes de dormir e a primeira coisa ao acordar. É um eterno romance, se apaixonando mais a cada dia.


9- Vocês ficaram satisfeitos com o trabalho da doula e com o parto?
Sim, mais que satisfeitos. Superou nossas expetativas e foi uma experiência incrível.


10- Deixe um recado:

Cris, você realmente foi muito importante para que pudéssemos ter nosso parto completo, tranqüilo e saudável. Você sabe bem como era importante isso pra mim, pois como não poderia amamentar queria pelo menos me apoderar desse dom natural da mulher. E valeu a pena! Superei muito bem esse lance coma ajuda das boas recordações do parto. E agora estamos aqui, completos felizes e saudáveis! Lembramos de ti sempre, nossa fadinha que nos ajudou com muito amor. Se percebe quando a pessoa faz o que gosta, e tudo vira sucesso! Desejamos que você possa ajudar muito mais mamães e papais a realizarem seus sonhos, e quando não for possível, que você possa estar lá para confortá-los e ajuda-los.

Obrigada, abençoada! A gente te ama muito, você sabe!


0 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *