Se avaliarmos como os partos eram antigamente, nós facilmente encontramos as doulas, que já existiam, aliás elas são tão antigas quanto as parteiras. Mas como assim? Claro, as doulas eram geralmente mulheres da família que tinham experiência em acompanhar partos, nada profissional, mas a experiência de acompanhar suas mães, irmãs, tias, filhas, fazia com que elas entendessem do processo.

Aliás, vamos lembrar que as parteiras também atuavam usando o instinto e experiência, elas eram treinadas pelas parteiras da família, como uma tradição. O tempo foi passando e no lugar das parteiras vieram os médicos, no lugar do domicílio veio o hospital e acompanhantes foram totalmente banidos, inclusive as doulas.

Até o momento em que essas mulheres começaram a perceber que essa evolução estava afetando de maneira negativa os partos, agora elas estavam em um lugar totalmente desconhecido e desconfortável, sem o companheiro do lado e sem aquele carinho e apoio das mulheres de sua família.

Os companheiros ganharam direito de participar dos partos, e as doulas pouco a pouco ainda estão conseguindo este lugar de volta, acompanhar a família parindo, e ajudar. Claro que o mundo de hoje não é como o de antigamente, e é necessário que as doulas façam cursos para poder atuar, pois o campo é tão limitado que não há espaço para erros.

Mas o que as doulas, agora profissionais, podem fazer? Elas começam a ajudar a partir do momento da contração, com tudo que envolve a gestação. No último trimestre de gravidez começam os encontro (consultas) onde elas ensinam o que esperar para o parto, no parto elas continuam dando todo o apoio emocional e físico, passando informações baseadas em evidências científicas e usando de suas experiências para ajudar a parturiente. E após o nascimento oferecem todo apoio e ajuda que a nova mãe necessita na amamentação e cuidados com o recém-nascido.

Nenhuma doula é igual a outra, cada uma traz a sua essência, a sua experiência de vida e profissional, o seu dom e formações.

Uma doula psicóloga certamente vai usar um pouco da psicologia em todo o processo, assim como uma doula fisioterapeuta, e a doula com formação em enfermagem. Nenhuma é melhor do que a outra, mas cada uma traz uma bagagem diferente e muito útil.

Não deixe de pesquisar e conversar com doulas da sua região, marque encontro com elas e escolha a que você se sente mais á vontade.
Tenha uma Doula!

Com uma doula no parto, você pode reduzir em:
*50% o índice de cesáreas;
*60% o pedido de analgesia;
* 40% o uso de ocitocina;
*40% o uso de fórceps;
*25% o tempo de trabalho de parto.

E 6 semanas após o parto, mulheres que tiveram doulas:
*Menor ansiosa e depressiva;
*Mais confiante com seu bebê;
*Mais satisfeita com seu parceiro
* Maior sucesso na amamentação;
( Estas estatísticas aparecem em ” A Doula faz a diferença” de Nugent in Mothering Magazine, Março-Abril 1998 e ” A Doula” By Klays em Chilbbirth Instructor Magazine, 1995)

Por Cristina De Melo

0 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *