A Carol é minha doulanda, e pariu naturalmente na água a linda Kaila em agosto de 2012.

(30 de julho de 2012)
”Está tudo bem comigo e com minha filha. Mas hoje meu  post é um desabafo. Felizmente eu descobri a tempo que nunca é tarde para trocar de médico, estou muito decepcionada a sorte que descobri antes de preparar meu parto (totalmente natural). Agora começo a pensar no que passou e tudo se encaixa, a ficha caiu. Vou explicar melhor.
Tudo começou com a penúltima consulta, quando minha médica começou a ter atitudes que naquele momento me pareceram inofensivas, ao verificar que a minha bebê estava com uma bradicardia (totalmente normal), me indicou um US de monitoramento. Foi o primeiro momento que ela tocou na palavra “cesárea”. Ela falou algo que soou estranho: que a próxima consulta seria a última do pré natal, para mim procurar outro médico, aquele que iria fazer meu parto (ela sabia do meu desejo de fazer PN), pois ela alegava cobrar chamado (detalhe, TODOS os médicos cobram chamado, quando não estão de plantão) me senti abandonada (tinha 2 consultas marcadas ainda). Eu realizei os exames que ela me solicitou naquele dia: No US, mostrou padrões normais, padrão cardiotocográfico normal, porém Percentil 3 (peso no limite do aceitável) e minha ferritina continuava baixa…
Naquela que foi minha última consulta, eu me senti uma gestante de risco. Parecia que estava em perigo e que estava tudo dando ruim na minha gestação – foi assim que a médica me fez eu sentir. Apresentei os exames e ela disse: “Olha, no US apareceu tudo normal, mas ela ta com P3, vamos fazer um novo ultrassom, para monitorar esse peso. Fiquei preocupada com os resultados, sua anemia não melhorou e a bebe apresenta baixo peso.. Se continuar assim eu indico cesárea pois o bebe fica muito frágil para o parto normal. Eu posso te incluir no mesmo dia que outra cesárea está marcada no dia do meu plantão, assim nao te cobro o chamado…”.
Aquilo parecia ser a gota d’agua, mas teve mais! permaneci alguns segundos em silêncio e só então e falei “Mas doutora, eu quero parto normal, a senhora pode me dar a guia (do convênio) para  PN?”…  Ela foi curta e grossa, dizendo que deveria ver o resultado do próximo US solicitado e que na próxima consulta ela me daria a guia indicando a PN ou P.cesárea. (então agora eu teria mais uma consulta? antes ela queria encerrar…)
Para fechar com chave de ouro, eu perguntei: “Já que vou realizar todo o pré natal contigo, agora começará a ser semanal?” ela me disse simplesmente que somente realizava consultas semanais no último trimestre com gestantes de risco, o que não era meu caso. Portanto, além de não realizar as consultas semanais ainda tinha que esperar a próxima e ultima consulta, com 38 semanas para saber o que ela iria decidir por mim , se seria PN ou P cesáreo. Sai da consulta desolada!
Na última US que realizei, com a  médica que escolhi desde o inicio para realizar as USs, muito atenciosa, com segurança me afirmou que não ha nada de anormal com a minha filha, que está super saudável, que não a nada a temer…
Na última semana, conversei com uma colega gestante. Ela começou a contar que teria o parto natural e na agua – exatamente como eu desejava – e que teria ao seu lado uma doula e seu médico de confiança que apoiava o parto natural. Me disse que iria pagar para que o mesmo fizesse o parto pois o médico que estaria de plantão nem sempre era a favor de PN e poderia induzir a um Pcesáreo. Foi um anjo que a fez vir conversar comigo e abordar sobre o assunto. Comecei a pensar sem parar. Cheguei em casa e conversei com meu marido, que me apoiou, na busca por uma doula. Esse foi o primeiro passo da mudança.
Entrei em contato com a Doula (que minha colega comentou) e a mesma me orientou a mesma coisa: sobre o risco de realizar o parto com o médico plantonista (entre outras coisas) se eu desejasse mesmo um PN, pois a maioria não é a favor, tem pressa para trocar o plantão, em outras palavras nao estão nem aí. A propaganda engana, hospitais que afirmam sobre o PN humanizado, mas que  não respeitam a vontade da parturiente e infelizmente essa realidade é geral!
Essa semana vou realizar a consulta com um médico que apoia o PN, e com a minha Doula. As coisas vao mudar a tempo!
Comecei a pensar em quantas mães já foram “enganadas” pelos médicos de confiança, quando os mesmos indicam um parto cesáreo afirmando ser necessário…( Carol mudou de obstetra, um que apoiava e acreditava de verdade em tudo o que ela desejava e teve seu tão sonhado parto natural).
 http://terceirotrimestrekaila.blogspot.com.br/2012/07/esta-tudo-bem-comigo-e-com-minha-filha.html

0 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *