woman-pregnant-relaxing-photo-420x420-ts-81283593

A minha gravidez não foi muito longe pois a Sofia nasceu com 38 semanas e 4 dias, através de uma cesárea desnecessária, como eu explico aqui. Mas me lembro muito bem que depois que completei 36 semanas e já tinha dois centímetros de dilatação (o que é normal) a ansiedade aumentou 200%.

Chegando nas 37 semanas então, que o médico diz que o bebê está ”pronto” pra nascer, ah pensar no bebê prontinho e ainda na barriga, talvez por mais 5 semanas chega a ser uma tortura. Como trabalho com gestantes eu vejo de perto como a ansiedade atrapalha inclusive na hora do trabalho de parto. E com a ajuda dessas mulheres, que já pariram, reuni algumas dicas por quem está passando (ou vai passar) por essa fase.

A data provável é mais improvável do que você pensa

A data provável do parto que os médicos calculam com base na data da última menstruação e do primeiro ultrasom, só serve para UMA coisa. Saber que o bebê provavelmente nascerá 15 dias antes ou depois deste dia. Uma minoria (4%) vai parir nesta data então não se sinta culpada se você for parte da maioria.

Não crie expectativas

Quase toda gestante de primeira viagem tem certeza que o bebê vai nascer antes da data prevista, mas a realidade é que algumas pesquisas já mostraram que primigestas (primeira gestação) entram em trabalho de parto espontâneo entre 40 e 41 semanas.

Não divulgue suas expectativas

Pior do que enfiar na cabeça que o bebê vai nascer dia X (e sempre antes da data prevista – 40 semanas) é espalhar isso para amigos e familiares. Porque agora além de lidar com a sua ansiedade e de seu companheiro, você vai ter que lidar com a da sua família e amigos. Se divulgou no facebook então danou-se, porque até quem você nem conhece vai perguntar pra quando é o bebê.

Não aposte suas fichas na troca de lua

Os antigos dizem que a lua influencia e muito no dia do parto. Lua cheia é batata se você estiver a termo (mais de 37 semanas), que a lua minguante os partos são mais longos, que na crescente nascem as meninas e assim vai. Não eu não quero ofender minhas ancestrais, porém nenhuma evidência científica (sim, já estudaram isso) comprovou alguma relação com a lua e o aumento de parturientes nas maternidades.
É  acreditar não faz mal algum… mas pode gerar uma frustração quando a lua não desencadear o trabalho de parto. Além disso, não divulgue para os outros essa informação.

Ignore as pessoas e as histórias ruins que elas contam

Como se não bastassem os medos que cada gestante carrega as pessoas parecem ter prazer em colocar mais medos. Histórias do tipo ”o bebê da minha vizinha passou do tempo…” são muito comuns. Não escute. Afaste-se de pessoas assim. Se for o caso pare de atender o telefone, de entrar no facebook, faça o seu ninho para receber seu bebê e afaste os predadores. Se ficar em casa a deixar ainda mais ansiosa, vá dar um passeio, um lugar que você possa estar em contato com a natureza, recarregar as energias e descansar. O bebê tem o tempo de nascer e precisamos aprender a ter paciência e respeitá-lo.

Paciência, você não tem outra opção!

Já que quem decide a hora de nascer é o bebê não nos resta nada a fazer além de esperar.  Aproveite que nunca esteve tão perto e curta o final da sua gestação. Acredite, você vai morrer de saudades depois. Se não for da barriga será do sossego de comer a hora que quer, dormir e até assistir um filme. Sua vida está prestes a mudar. É uma mudança maravilhosa porém radical. Leia livros sobre pós-parto, sobre a chegada do bebê, participe de grupos de apoio pois você vai precisar. A gestação existe para que possamos nos preparar para o parto e para a vida que vem depois. O parto é um dia só (as vezes dois) mas o puerpério e a vida com esse novo ser é para sempre.

Tenham uma boa hora!

Cris Doula

 


5 comentários

Vanda Araújo Santos · 22 de outubro de 2017 às 22:03

Estou grávida do meu quinto filho e a ansiedade é grande estou com 37 e 2 dois dias não vejo a hora de o Lorenzo nascer

Ingrid · 24 de outubro de 2017 às 23:23

Adorei o texto, pra mim o que está sendo ruim é lhe dar com a ansiedade dos outros, não tem um dia que eu não receba uma mensagem perguntando sobre o parto e eu so estou com 38 semanas. Infelizmente tive que me afastar pq ja não bastava ter que dominar a minha ansiedade, agora ter que controlar a ansiedade dos outros é brabo.

Dorcas · 25 de novembro de 2017 às 9:15

Ola gostei da sua experiencia eu estou com 39 semanas mais minha ansiedade esta ha flor da pele nao so ah minha mais da família tuda sinto muita do na virilha mwu parto vai ser Humanizado e nao vejo ah hora do Juan Lucca nasce tudo ja esta pronto esperando so ele chega oh que posso fazer pra passa um pouco esse minha ansiedade por favor??

Vera · 20 de outubro de 2018 às 10:30

Olá Cris , me chamo Vera . Estou de 40 semanas. Esperando minha 2* filha. Estou deitada na cama procurando algumas respostas para as minhas dúvidas e achei o teu site. E que bom que achei. Tive 2 gestações completamente diferentes. A primeira , ah foi maravilhosa. Não tive albsolutamente nenhum problema. Minha bebê nasceu com 39 semanas e 1 dia. O parto foi tranquilo e durou 3 horas, e quase sem dor. Agora a gestação atual já estou de 40, já tive pressão alta e muito inchaso, e parece q de uma semana pra cá minha glicemia subiu, e minha bebe já está com 3.800 e nada do colo dilatar até agora. Eu já estou super nervosa, pois pensei que eu fosse parir antes, por ser a segunda gestação. E meu médico está com medo pois ela já está bem pesada. Eu li este texto seu e fiquei mais aliviada. Realmente as pessoas nos colocam muita pressão. Todos os dias recebo mensagens de Amigos querendo saber pq ainda ela não nasceu. Isso só me deixa pior. Já desliguei o telefone hj, pq não quero mais receber nenhuma mensagem do tipo. Parece que as pessoas não têm noção, e estão passando toda a sua tensão pra mim. Quando na verdade poderiam me deixar a vontade. Enfim foi um desabafo. Foi muito bom ler suas palavras. Um beijo Vera

Marli Mendes · 11 de novembro de 2018 às 11:21

Excelente conteúdo e muito bem explicado. Parabéns!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *