Usar antidepressivos na gravidez pode causar riscos para o bebê, mas parar o antidepressivo pode trazer riscos a você. Entenda os fatos sobre gravidez e o uso desses medicamentos na gravidez.

Como a gravidez afeta a depressão?
Antigamente acreditava-se que os hormônios da gravidez protegiam a mulher da depressão, mas pesquisas agora mostram que isso não é verdade.
Inclusive, a gravidez pode aumentar essas emoções que dificultam a maneira de lidar com a depressão.

O tratamento é importante durante a gravidez?
O tratamento para depressão durante a gravidez é essencial. Se você tem uma depressão não tratada, você pode não ter energia para cuidar bem de você mesma. Você pode não receber cuidados pré-natais ideais ou comer comidas saudáveis que seu bebê precisa. Você pode se tornar uma fumante ou alcoólatra. Os resultados podem ser parto prematuro, baixo peso ao nascer e outros problemas ao feto – além de aumentar o risco de depressão pós-parto, que dificultará com o vínculo com o bebê.

Antidepressivos são uma opção na gestação?
A decisão do uso ou não durante a gravidez é balanceado entre riscos e benefícios. Entretanto, o risco de má formações fetais e outros problemas para os bebês e mães que fazem uso de antidepressivos na gravidez é baixo. Ainda, algumas medicações tem sido provadas seguras para o uso na gravidez enquanto outros tipos estão associados com problemas de saúde aos bebês.

Quais antidepressivos são seguros na gestação?
Esse tema deve ser discutido com o obstetra que indicará o melhor ( e se necessário mesmo) medicamento para você.

Quais outros riscos para o meu bebê?
Se você tomar antidepressivos durante a gravidez ou durante o último trimestre, seu bebê pode experienciar alguns sintomas temporários – como nervosismo, ou irritabilidade – no parto. Reduzir as dosagens perto do final da gestação não é totalmente recomendado. Não vai diminuir esses possíveis efeitos, e pode adicionar os desafios para que você lide com o período pós-parto.

Devo mudar a minha medicação?
A decisão de continuar ou mudar seu antidepressivo é sua e de seu obstetra. Preocupações sobre riscos podem ser pesados contra a possibilidade da nova medicação falhar e causar um relapso. Mantenha em mente que mudar medicações durante a gravidez vai expor seu bebê a uma nova medicação. O que pode aumenta o risco de efeitos colaterais e problemas congênitos.

O que acontece se eu parar de tomar minha medicação?
Se você parar de tomar, você arrisca ter um relapso de depressão. Em adicional, parar um antidepressivo do nada pode causar vários sintomas que incluem:

  • Náusea e vômitos;
  • Calafrios;
  • Fadiga;
  • Ansiedade;
  • Irritabilidade.

    Qual o limite?

    Se você tem depressão e está grávida ou pensando em engravidar, consulte com um obstetra. As vezes uma depressão mais leve pode ser tratada com psicoterapia, incluindo outras terapias. Se a sua depressão é severa ou tem um histórico recente de depressão, o risco de relapso pode ser maior que os riscos associados aos antidepressivos.

    Decidir como tratar a depressão durante a gravidez não é fácil. Os riscos e benefícios das medicações devem ser pesados cuidadosamente em cada caso. Trabalhe com seu obstetra para que juntos possam tomar uma decisão baseada em infomação que traz a você – e seu bebê- a melhor chance de saúde a longo prazo.

    Traduzido por: Cristina Melo 

    Fonte: www.mayoclinic.com/health/antidepressants/DN00007/NSECTIONGROUP=2



3 comentários

Caroline · 3 de fevereiro de 2012 às 21:10

Oi Cris!
Excelene post. O texto é rico em detalhes e mostra um problema pouco discutido. Em casos severos a depressão deve ser acompanhada de perto pelo obstetra e o psiquiatra responsáveis. Em casos mais leves o acompanhamento psicoterápico pode sustentar a paciente. Outro ponto importante é a prevenção da depressão pós-parto.
Um abraço
Caroline (psicóloga) – http://www.gestantesemcrise.com

Cris Doula · 4 de fevereiro de 2012 às 1:26

Olá Caroline, obrigada pelo comentário. O tema foi a pedido de uma gestante! Beijos

Catarina Almeida · 25 de abril de 2013 às 22:59

Realmente é um momento delicadíssimo. O grande problema é como você informou, não dá para parar de repente! Mas se for no começo da gestação, vale a pena a mamãe se informar com o médico sobre começar a parar de tomar durante esse período.

Segundo o http://www.gravidez.co estudos feitos em várias universidades comprovaram que existe uma chance de o uso do antidepressivo ser prejudicial ao feto durante a gravidez.

ENfim, nada como acompanhamento médico, não é verdade?

Beijos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *