Arquivo

Fotos da última palestra de preparação para o parto natural!

30 de janeiro de 2012 - 23:13

Agradecimentos: http://www.ecomodaparacriancas.blogspot.com/

Para fazer pré-reserva para a próxima palestra:
ecomodaparacriancas@gmail.com

Cris Doula

“Tenho dilatação mas não estou em trabalho de parto. É normal?”

29 de janeiro de 2012 - 5:53

 

Vejam também ” Eu não tive dilatação

Sim, é muito comum que exista alguma dilatação antes do trabalho de parto. As razões geralmente são: o peso do bebê sob o colo do útero que força a dilatação (2 a 3 cm) ou contrações uterinas preparatórias que podem causar até cerca de 5 cm. Mesmo com tanta dilatação é possível que demore DIAS até que o bebê nasça. Por isso, não adianta insistir e implorar para que o médico a interne por causa disso, vá para casa e curta, em pouco tempo seu bebê vai chegar. Uma indução só por este motivo também não é o ideal, a menos que seja realmente necessária para melhorar a saúde materna ou fetal.

Se eu tenho dilatação, posso continuar tendo relações com meu parceiro?
Se você estiver a termo, isso é com mais de 37 semanas, e não tiver uma contra-indicação do médico, você pode sim. Inclusive o esperma ajuda no amolecimento do colo e na dilatação.

Posso começar a induzir o parto naturalmente?
Sim, se a gestação já estiver a termo.

É bom ter dilatação antes do trabalho de parto?
Eu acho muito útil saber se a mulher tem alguma dilatação se uma indução pode ser necessária, justamente para saber se o colo está favorável para o procedimento. Fora isso, o exame é realizado se a gestante tiver contrações com frequência, mas cuidado para não ficar muito ansiosa.

Uma vizinha tinha dilatação, começaram as contrações e ela foi para maternidade. Mas acabou tendo uma cesárea porque não dilatou mais. É normal?
Ir muito cedo para a maternidade é um problema, geralmente quando as contrações começam a parturiente não tem mais que 2-3 cms, então o ideal é aguardar em casa até que as contrações fiquem de 3 em 3 minutos por mais de 1 hora. Para saber se o bebê está bem, basta que ele continue se movimentando com frequência, que você não tenha sangramentos fortes (hemorragia) e que a bolsa esteja íntegra.  Se você não está dilatando, é porque não está em trabalho de parto ativo, ou, não está se sentindo confortável e protegida no ambiente que está. Lembre-se: Somos mamíferos, e queremos nos isolar para parir.

 Você tem alguma dúvida? Poste um comentário!

Cris Doula! 

Asma X parto natural

- 5:15

Uma visitante do site me pediu no facebook  para fazer um post sobre asma e se é possível ter um parto natural com esta condição.
Eu já acompanhei ( pelo que me lembro agora) pelo menos uma gestante que tinha asma, e o obstetra dela não contra-indicou em momento algum o parto natural, ela acabou passando por uma cesareana por outro motivo.

Então fui pesquisar para falar mais sobre, quando a cesárea pode ser indicada.

Retirado de: Dombrowski MP, Schatz M. ACOG practice bulletin: clinical management guidelines for obstetrician-gynecologists number 90, February 2008: asthma in pregnancy. Obstet Gynecol. 2008 Feb;111(2 Pt 1):457-64.

O uso da medicação para a asma não deve ser interrompido durante o parto. A paciente deve ser mantida hidratada e deve receber analgesia adequada, a fim de diminuir o risco de broncoespasmos. As mulheres que estão atualmente recebendo ou recentemente tomaram corticosteróides sistêmicos devem receber administração intravenosa de corticosteróides (por exemplo, hidrocortisona 100 mg a cada 8 horas) durante o trabalho de 24 horas após o parto para evitar que a crise adrenal (4).

Cesariana raramente é necessária . Compromisso materno e fetal normalmente responderá ao tratamento médico agressivo. No entanto, a cesárea pode beneficiar o estado respiratório de um paciente com asma instável que tem um feto maduro. Anestesia lombar pode reduzir o consumo de oxigênio e ventilação minuto durante o parto (24).Anestesia regional foi relatada a incorrer em uma incidência de 2% de broncoespasmo (25).A equipe obstétrica, anestesista e pediátrica devem comunicar para coordenar intraparto e pós-parto assistência.”

Por tudo que eu li, o que entendi (se estiver errada podem me corrigir) é que não existe contra-indicação para parto natural se a asma estiver controlada. Claro que, se for um médico cesarista ele vai indicar sem pensar duas vezes.

Bom parto para todas.

Cris Doula 

Fotos da Palestra gratuita de preparação para o parto na loja Eco!

27 de janeiro de 2012 - 0:39

Ontem (25/01) ocorreu mais uma deliciosa palestra da loja Eco moda para crianças, onde eu sou a palestrante. O Tema é ” Preparação para o parto natural” e tivemos lotação máxima. Além da teoria dos slides feitos por mim, nós tivemos as práticas de massagem, exercícios e visualização do parto em dois ângulos diferentes.

Eu e a loja Eco queremos agradecer a presença de todos que foram, os alimentos arrecadados farão muita diferença para quem recebe, e nós esperamos ter ajudado vocês nessa linda fase.

Obrigada,

Cris Doula!

 http://www.ecomodaparacriancas.blogspot.com/

30 dúvidas sobre o que é permitido fazer ou não na gravidez!

26 de janeiro de 2012 - 5:14

113-duvidas-permitido-fazer-gravidez

Reunimos as principais perguntas que martelam na cabeça de quase toda gestante e fomos atrás das respostas. Aqui, você confere o que pode e o que não pode na gravidez

1. Posso fazer tratamento para varizes?

Cirurgias para dar cabo das veias saltadas não são indicadas nessa fase. De acordo com o médico Ivanésio Merlo, presidente da Sociedade Brasileira de Angiologia e de Cirurgia Vascular do Rio de Janeiro (SBACV-RJ), as varizes decorrentes da primeira gestação normalmente desaparecem após o parto. Mas as da segunda gravidez tendem a permanecer. O mais recomendado para gestantes com esse tipo de problema é o método clássico: deixar as pernas levantadas por alguns minutos, usar meias elásticas de compressão (apenas no frio), evitar ficar muito tempo parada em pé ou sentada e fazer caminhadas regulares. Essas medidas ajudam a aliviar os sintomas.

 

2. Posso pintar as unhas?

A gestante pode tanto pintar as unhas (dos pés e das mãos) como também remover a cutícula. O único cuidado é em relação à higiene dos acessórios de manicure. O ideal é que você tenha seu próprio kit de tesoura e alicate para fornecê-lo à profissional. Isso evita possíveis contaminações. Ou, então, escolha um estabelecimento que tenha rígidos procedimentos de esterilização do material, incluindo o uso de autoclave.

 

3. Posso me depilar com cera quente?

Segundo a dermatologista Daniela Graff, de São Paulo, você pode se depilar com lâmina e com cera. A chamada depilação definitiva, que se vale do laser, não é recomendada. “Como não são feitos testes em grávidas, por precaução não a utilizamos em gestantes”, esclarece Daniela.

 

4. Posso tingir o cabelo?

Somente a partir do quarto mês de gestação. “As tinturas, mesmo aquelas sem amônia na composição, e a hena não devem ser usadas no primeiro trimestre da gravidez”, assinala Daniela Graff. “O motivo é que não se sabe se elas podem ser absorvidas pelo couro cabeludo da mãe, e o início da gestação é uma fase crítica de formação do feto”, explica a médica. Vale saber: escova progressiva, alisamentos e permanentes nos cabelos estão proibidos ao longo de todo o período.

 

5. E descolorir os pelos do corpo?

Evite clareá-los enquanto estiver grávida. Não há garantias de que as substâncias químicas usadas no processo não penetrem na pele e, assim, ofereçam riscos ao bebê. Além disso, todo o organismo está mais sensível e propenso a irritações cutâneas e alergias.

 

6. Pode andar de moto? E a cavalo?

Não há nenhuma contraindicação formal para o transporte em motocicleta. “Mas a gestante deve lembrar que os acidentes com esse veículo são relativamente comuns e uma queda, ainda que em baixa velocidade, pode colocar a vida do bebê em risco”, diz Cláudia Magalhães, obstetra e professora da Faculdade de Medicina da Universidade Estadual Paulista (Unesp). Por razões semelhantes, andar a cavalo não é uma boa ideia. “Na gravidez, há o aumento do peso corporal e a mudança do seu eixo. Além disso, as juntas e articulações ficam mais moles e suscetíveis a entorses”, esclarece Marcos Tadeu Garcia, obstetra do Hospital e Maternidade São Luiz, em São Paulo. Portanto, qualquer queda pode provocar uma situação grave para a grávida e o bebê, como o deslocamento da placenta e outros traumas.

 

7. E andar de bicicleta?

Pedalar a bike é permitido desde que a gestante tenha o aval do médico e esteja habituada ao exercício. É importante beber bastante água e usar os equipamentos de proteção, como capacete e joelheira. Por segurança, não custa também procurar um local com pouco ou nenhum trânsito de automóveis. E nada de acelerar no pedal.

 

8. Posso tomar laxante?

Inicialmente, o ideal é incrementar a dieta com alimentos ricos em fibras para melhorar o trânsito intestinal. As frutas e os cereais integrais são as melhores fontes. Se ainda assim o intestino continuar preso, o obstetra poderá indicar algum laxante formador de bolo fecal. É imprescindível que um médico prescreva o medicamento, pois alguns tipos de laxativos são contraindicados para as gestantes.

 

9. Posso continuar dirigindo meu carro?

Existem inúmeras controvérsias sobre o assunto. Há médicos que autorizam suas pacientes a dirigir até o sétimo, oitavo mês. Outros não veem impedimento até o fim da gravidez. E há ainda os que sugerem o abandono da direção desde o início. Esses últimos alegam que os reflexos e a concentração da grávida se encontram reduzidos e, além disso, na hipótese de uma colisão, o volante pode provocar um grande trauma na barriga. Vale conversar com o seu obstetra e ouvir o ponto de vista dele. Procure levar em conta também seu estado físico e emocional a cada estágio da gravidez.

 

10. Momentos de tristeza podem influenciar o desenvolvimento do meu bebê?

Não está provado que a tristeza da mãe possa afetar diretamente a saúde do feto, mas há um porém. “Uma pessoa muito triste, depressiva, não se alimenta nem dorme corretamente, não segue as orientações médicas e isso, sim, pode ser prejudicial”, pondera Eduardo de Souza, professor do Departamento de Obstetrícia da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp). Momentos de tristeza fazem parte da vida de todas as pessoas e não devem ser motivo de preocupação. Mas, como a depressão durante a gravidez não é rara, é bom procurar ajuda psicológica se perceber que a melancolia está se tornando persistente.

 

11. Posso tomar banho de banheira? Há risco de isso provocar algum problema?

Desde que a temperatura da água não ultrapasse os 38 °C – ou seja, ela deve ficar apenas morninha. Banhos de imersão muito quentes não são recomendáveis. Nos primeiros três meses de gestação, a hipertermia (excesso de calor) pode causar malformações no feto. “A partir do segundo trimestre, é normal que a pressão arterial da gestante caia. O ambiente muito quente contribui para uma queda ainda mais acentuada, podendo ocasionar desmaio e diminuição do fluxo de sangue para o bebê”, avisa o obstetra Marcos Tadeu Garcia. Uma dica é manter a porta do banheiro entreaberta para impedir o acúmulo de vapor quente no local.

 

12. Posso tomar banho de sauna?

Devido à alta temperatura nesse ambiente, fazer sauna é desaconselhado pela maioria dos médicos para prevenir problemas como queda de pressão, desmaio e enjoo.

 

13. Posso fazer carinho no meu bicho de estimação?

Sim, mas é preciso tomar alguns cuidados, principalmente em relação aos gatos. Alguns bichanos, geralmente os que têm contato com as ruas, podem estar infectados com um parasita, eliminado pelas fezes, que transmite a toxoplasmose, uma doença capaz de causar malformações no feto. É comum o médico pedir no pré-natal um teste para identificar se a gestante está ou não imune à toxoplasmose. Quem não está precisa redobrar a atenção. Segundo o obstetra Eduardo de Souza, é importante lavar as mãos sempre depois de acariciar os animais e também evitar mexer na terra de vasos e quintal – o solo pode estar contaminado pelas fezes. Mais uma recomendação: se tiver um gato, delegue a outra pessoa a limpeza de sua caixa de areia.

 

14. Posso fazer drenagem linfática?

Depende. A drenagem linfática é realmente eficaz para reduzir o inchaço, mas em gestantes só deve ser feita por um fisioterapeuta com certificado aprovado por uma sociedade médica. “Mas há sempre o risco de lesão vascular ou desprendimento de trombos, acarretando problemas muito maiores”, alerta Eduardo de Souza. Por isso, é importante, antes de qualquer coisa, conversar com o seu obstetra e, eventualmente, consultar um angiologista.

 

15. Posso beber uma taça de champanhe ou vinho de vez em quando?

“Uma taça de champanhe ou vinho, ocasionalmente, num jantar ou numa festa, não trará problemas desde que a gestante não tenha contraindicação em relação ao consumo de álcool”, acredita o obstetra Marcos Tadeu Garcia.

 

16. Posso comer pratos apimentados ou com condimentos fortes?

Desde que eles não provoquem azia ou outro desconforto gástrico, não há problema algum.

 

17. Posso continuar tomando café?

A cafeína piora os sintomas de queimação no estômago, algo comum entre várias gestantes, além de ser muito estimulante. O mais indicado é tomar café com bastante moderação, uma ou duas xícaras pequenas por dia.

 

18. Posso passar bucha vegetal nos mamilos para prepará-los para a amamentação?

Até pouco tempo atrás, muitos médicos indicavam o uso da bucha vegetal duas ou três vezes por semana para deixar os mamilos mais resistentes. Ultimamente, os pediatras têm recomendado outro método: expor os mamilos ao sol durante dez minutos todos os dias. Pergunte ao seu médico o que ele acha mais eficaz. Caso a orientação seja pela exposição aos raios solares, uma dica é encontrar uma fresta em alguma janela de sua casa onde você possa fazer isso com privacidade.

 

19. Posso tomar banhos de sol? Devo adotar alguma precaução?

Não existem problemas em tomar banhos de sol desde que você siga as seguintes recomendações: expor-se apenas antes das 10 horas ou após as 16 horas e sempre usar um protetor solar UVA/UVB com FPS superior a 30. “As gestantes têm um risco maior de ficar com manchas tanto na face como na barriga”, diz a dermatologista Daniela Graff.

 

20. Posso tomar banho de mar?

“Se a gravidez não é de risco, não há a dilatação antes da hora nem o risco de prematuridade”, afirma Eduardo de Souza. Ele avisa que são necessários alguns cuidados básicos para entrar no mar, como deixar a água chegar, no máximo, até a altura da coxa e evitar ondas fortes de frente.

 

21. Posso passar qualquer hidratante no corpo ou precisa ser um tipo específico para gestantes?

Alguns ativos de hidratantes comuns são proibidos na gravidez, como ureia em concentrações altas. Por essa razão, o melhor é optar por produtos exclusivos para gestantes. Mas saiba que mesmo eles podem causar alguma irritação.

 

22. Posso usar óleo de amêndoas à vontade?

Esse tipo de óleo, recomendado para prevenir o surgimento de estrias durante a gestação, pode ser usado sem restrições. Ele, no entanto, só a melhora a hidratação da pele, o que nem sempre é suficiente para impedir o aparecimento dessas marcas na pele, que geralmente vêm à tona devido ao aumento de peso característico da gravidez e às alterações hormonais típicas do período.

 

23. Posso viajar?

Até o sétimo mês, as viagens podem ser realizadas com algumas precauções. “No carro, deve-se parar de hora em hora para esticar as pernas e se alimentar”, diz o obstetra Eduardo de Souza. Trechos feitos de avião demandam cuidados como caminhar pelo corredor da aeronave sempre que possível e ingerir bastante líquido para evitar a desidratação. No oitavo mês, é necessário atestado médico para embarcar. E, no nono, a maioria dos médicos proíbe viagens de qualquer natureza, mesmo de carro.

 

24. Posso fazer musculação?

Com uma supervisão adequada, sim. No entanto, as cargas devem ser menores e sem exageros porque o risco de lesão na coluna é maior.

 

25. Posso visitar um amigo doente?

Se problema for contagioso ou ele estiver internado, não. Hospitais são focos de doenças e o melhor é se poupar de entrar num ambiente assim. Caso não haja um diagnóstico fechado, o mais prudente é telefonar ou mandar um e-mail de solidariedade ao amigo.

 

26. Posso subir escada?

Sim, mas você deve ficar atenta para não ficar ofegante na subida e, na descida, não se desequilibrar. Para isso, tome o cuidado de subir um andar apenas por vez e descer utilizando o corrimão.

 

27. Posso usar sapato de salto?

Caso não haja desconforto, é possível usar salto de até 3 centímetros. Mais do que isso, aumenta a possibilidade de quedas devido à mudança de eixo no equilíbrio do corpo. “No final da gestação, é recomendada a utilização de sapatos baixos, principalmente devido às dores nas costas. Isso porque o salto alto intensifica ainda mais a lordose característica da gravidez”, aconselha a obstetra Cláudia Magalhães.

 

28. Posso carregar sacolas de compras?

Sim, não apenas sacolas de compras, como seu filho mais velho (se ele ainda for pequeno, claro) e qualquer coisa de que você precise, desde, é claro, que não seja algo com quilos e mais quilos. Antigamente, acreditava-se que grávidas deveriam ser poupadas de carregar peso, mas essa restrição só existe para gestantes com complicações de saúde. O limite deve ser estipulado pela sua condição pessoal e pelo seu bom senso.

 

29. Posso ingerir comida japonesa?

Embora o peixe cru, típico da culinária japonesa, não transmita toxoplasmose, o ideal é evitar o alimento nessa fase – aliás, qualquer carne crua deve ser riscada do cardápio da futura mamãe. Durante o preparo, o pescado pode ser manuseado por pessoas que não tenham lavado adequadamente as mãos sem falar em possíveis problemas com a assepsia do restaurante. Como o calor mata a maioria dos germes, o mais indicado é consumir apenas alimentos cozidos.

 

30. Posso fazer tratamento dentário?

Não só pode como deve, caso ocorra algum problema nos dentes ou nas gengivas. Doenças bucais são associadas a parto prematuro e nascimento de bebês com baixo peso. Se sua barriga ainda não é evidente, lembre-se de falar ao dentista sobre o seu estado atual para que ele possa tomar as devidas precauções no tratamento. Existem anestesias apropriadas para grávidas. Elas são mais seguras porque não contêm substâncias que provocam estreitamento dos vasos sanguíneos, presentes nas anestesias comuns.

Fonte: http://bebe.abril.com.br/materia/30-duvidas-sobre-o-que-e-permitido-fazer-ou-nao-na-gravidez